politica 03/03/2018 às 16:07

Em Nova York, Moro defende fim do foro privilegiado, projeto de Álvaro Dias

Para o juiz responsável pelos julgamentos da Operação Lava-Jato, apenas o Presidente da República deveria manter alguma forma de foro.

Num debate em Nova York, o juiz Sergio Moro defendeu o fim do foro especial, dizendo que ele deve ser mantido só para o presidente, alertou para retrocessos no combate à corrupção que podem ocorrer nos próximos meses, em alusão às eleições, e defendeu a sua conduta nos julgamentos da Lava Jato. As informações são da Folha de São Paulo, em matéria assinada pelo jornalista Silas Martí.

Projeto de Álvaro Dias (Podemos) prevê justamente o fim do foro privilegiado e é uma das principais bandeiras políticas do Senador. Já aprovado, o projeto atualmente aguarda na Câmara dos Deputados pela formação de uma comissão para que possa ir à votação em plenário. Líderes dos partidos tem evitado indicar os membros para formar a comissão de análise do projeto.

O juiz afirmou que concorda com a ideia de que há privilégios para políticos no país e criticou o foro especial. "Talvez isso deveria ser mudado. Seria uma ideia inteligente e talvez manter isso para só o presidente, mas não tenho muita certeza", destacou. "Estamos falando de poder, de política", disse. "As pessoas lutam por poder e algumas não querem mudar, querem ficar no poder, querem privilégios mesmo que esses privilégios violem a lei".

Moro também defendeu “reformas gerais” para combater a corrupção e que uma investigação judicial não é o suficiente para limpar o cenário, mas que isso depende de “um governo amigável”.

A Reforma do Estado e a Refundação da República são outras das bandeiras defendidas por Álvaro Dias em sua pré-campanha pela Presidência da República.

Notícias Relacionadas