geral 12/01/2018 às 15:10

Vistoria encontra armas brancas e celulares em presídio de Goiás

Diretor de Administração Penitenciária do estado anuncia que unidade de regime semiaberto em Aparecida de Goiânia terá presos transferidos e será demolida

Uma vistoria realizada no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, palco de rebeliões de presos na primeira semana de 2018, encontrou dezesseis telefones celulares, cachimbos e uma porção de armas brancas, entre facas, navalhas, serras, objetos pontiagudos, facões e barras de ferro. A vistoria foi determinada pela ministra Cármen Lúcia, presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), que foi a Goiânia para se reunir com o governador do estado, Marconi Perillo (PSDB), e, na sequência, visitar a unidade.

A ministra, no entanto, desistiu de entrar no presídio após receber alertas de riscos à sua segurança. A vistoria foi feita por agentes da Polícia Militar e do Grupo de Operações Penitenciárias (Gope) de Goiás, com as presenças do diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Edson Costa, e do comandante-geral da PM, coronel Divino Alves, além de representantes da OAB, do Ministério Público e da Defensoria Pública.

“Cumprimos as duas missões que a ministra nos determinou: fazer um cronograma para as nossas tarefas dos próximos 30 dias e realizar esta inspeção com total transparência”, afirmou Costa. O diretor-geral anunciou que a unidade do complexo onde ocorreram as rebeliões, a Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto, será demolida e os detentos transferidos para uma nova estrutura, que será construída a partir de agora.

A informação é da Veja.

Notícias Relacionadas