politica 05/01/2018 às 16:00

EXCLUSIVO: Livres pode desembarcar do PSL após suposto acordo entre Luciano Bivar e Bolsonaro

Hoje, sexta-feira, Luciano Bivar e Bolsonaro se reuniram e tudo indica que chegaram a um acordo.

Circula nos bastidores e nas redes sociais a informação de que Luciano Bivar e Jair Bolsonaro de fato chegaram a um acordo. O presidente do PSL teria se reunido com o deputado federal do Rio na tarde de hoje, e pressionado pela cláusula de barreira, que pode dar fim ao seu partido, Bivar aceitou a entrada de Bolsonaro no partido.

Por enquanto ainda pode ser boato, mas a informação vem de membros do próprio Livres. O que se alega é que a entrada de Bolsonaro no partido causará uma ruptura com o projeto liberal, uma vez que o deputado não tem nenhuma afinidade com isso. Na realidade, foi Bolsonaro quem procurou Luciano BIvar para entrar no PSL ainda em dezembro, logo aós sua discussão com Adilson Barroso, presidente do PEN, que negou a ele acesso irrestrito ao fundo partidário. Na ocasião, o Livres emitiu uma nota negando tudo, algo que o próprio Bivar desmentiu poucos dias depois em entrevista para o Expresso Época.

Conversas entre membros do Livres dão conta de que Bivar pode até ser vice na chapa de Bolsonaro, e eles pretendem largar a legenda por isso.

Uma mensagem que circula no Whatsapp, atribuída a Sérgio Bivar, que é filho de Luciano e também dirigente nacional do Livres, diz o seguinte:

Amigos, À revelia dos nossos planos e desejos, as conversas entre o PSL e a equipe de Bolsonaro evoluíram e devem se concretizar, mesmo sem participação no diretório, sem a presidência nacional do partido e sem mudança de nome. Para alguns, isso pode até ser bom, mas para mim, é fatal. Aos meus olhos, Bolsonaro é como Lula, um candidato anti-sistema, carismático, com ares messiânicos de justiceiro, dotado de uma visão estatista e autoritária, que surfa na demagogia. Ainda que ele venha sendo assessorado por liberais no campo econômico, não acho que tenha convicções sobre a matéria, o que faria seu possível governo imprevisível. Da minha parte, posso garantir que defendi a bandeira e os interesses do Livres até onde me foi permitido. Ainda estou incerto sobre os rumos que tomarei, mas devo me desfiliar do partido. No momento, não me sinto em condições de encabeçar nenhum projeto político, mas acredito que o melhor para o Livres seria se desvincular do PSL, fazendo-se suprapartidário. Temos lideranças de alto nível, que podem assumir a tarefa de fazer novas articulações e, enfim, formalizar os mecanismos de governança que tanto ensaiamos. Aos amigos do Livres, recomendo que permaneçam unidos, sejam fiéis às suas convicções, pois nossas bandeiras estão em linha com o futuro e são inadiáveis. Permaneço fiel aos que tentaram fazer algo diferente do jogo usual, que puseram sua reputação em jogo e enxergam a liberdade como motor para a prosperidade individual e geral, única ponte para um Brasil mais justo.

Apesar disso, ainda existe uma esperança para o Livres, que pode se agarrar a algumas normas do Estatuto do PSL para tumultuar ou até mesmo eliminar a possibilidade de Bolsonaro entrar no partido. Como o grupo tem certo poder em alguns diretórios, é possível que entrem com recurso para impedir a entrada de um novo afiliado, e para ser candidato pelo partido é preciso antes de qualquer coisa se filiar a ele.

Notícias Relacionadas