politica 03/01/2018 às 16:37

Jabuticaba: Rosa Webber cogita proibir utilização do Fundo Partidário nas eleições

Com isso, Ministra pretende impedir que R$ 900 milhões destinados aos partidos sejam utilizados na campanha, tornando processo eleitoral ainda mais maluco.

A maluquice já havia tomado conta do Judiciário brasileiro quando os Ministros do TSE decidiram no canetaço, legislando por cima da Câmara dos Deputados e do Senado, a proibição pura e simples de doações de pessoas jurídicas nas eleições. A absurda decisão, que além de favorecer partidos que se financiam através de sindicatos e Movimentos "Sociais" (como o PT, por exemplo), ainda abriu as portas para que o crime organizado, sem qualquer preocupação com a legalidade de seus atos, possa entrar com tudo no financiamento de campanhas. 

Mas como maluquice no Brasil nunca é demais, agora a Ministra Rosa Webber do STF pretende ir além. A Ministra tem cogitado seriamente proibir a utilização do Fundo Partidário no financiamento das campanhas do próximo ano. Segundo seu douto, sábio e excelso entendimento, não é possível utilizar um Fundo destinado ao desenvolvimento das atividades partidárias para o financiamento da maior atividade de qualquer partido: a disputa de eleições. A desculpa é que a criação do recém criado Fundo Eleitoral, dotado de R$ 1,7 bilhão de reais, já seria suficiente para esta finalidade. 

Desta forma, os R$ 900 milhões que os partidos dispõe simplesmente não poderiam ser utilizados em qualquer atividade de caráter eleitoral.

É uma doideira sem fim. Sob a belíssima boa intenção de se baratear o custo das campanhas, está se abrindo o caminho para as eleições se transformarem num verdadeiro vale-tudo em busca de formas de financiamento que não caiam nas garras fiscalizatórias de um Judiciário com uma vocação cada vez mais autoritária. 

Brasil: se cobrir vira circo, se cercar vira hospício.

A foto que ilustra o post é de Roberto Jayme.

Notícias Relacionadas