politica 03/01/2018 às 15:14

FHC cogita jogar Alckmin ao mar e apoiar nome que consiga unir o Centro político

Em entrevista ao jornal Estadão, ex-Presidente até defendeu nome do ex-governador paulista, mas deixou porta aberta para apoiar candidato de outro partido.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou, em entrevista ao Estado, que o governador Geraldo Alckmin ainda precisa provar ser capaz de aglutinar o centro do espectro político e de “transmitir uma mensagem” aos brasileiros para se viabilizar como candidato do PSDB e de seus aliados ao Palácio do Planalto neste ano.

FHC foi enfático ao defender Alckmin, mas avaliou que, caso ele não cumpra essas tarefas, os tucanos podem apoiar outro nome para evitar a fragmentação do centro, hoje reunido em torno das bandeiras do governo. “Se houver alguém com mais capacidade de juntar, que prove essa capacidade e que tenha princípios próximos aos nossos, temos que apoiar essa pessoa", afirmou.

Ato contínuo, o governador Geraldo Alckmin tratou de rebater a entrevista da principal liderança tucana e reafirmar que não arreda pé de sua candidatura, desta vez ao jornal Valor.

Parece que ainda voará muita pena de tucano até a eleição.

Entretanto, FHC parece já começar a pavimentar o caminho para que os tucanos apoiem um candidato de outro partido no pleito Presidencial, algo que nunca aconteceu desde a fundação do PSDB. Em 1989, o candidato tucano foi Mário Covas. Em 1994 e 1998, o próprio FHC foi eleito, sempre em primeiro turno. Em 2002, José Serra disputou e perdeu a eleição no segundo turno para Lula. Em 2006, foi a vez do próprio Alckmin ser derrotado pelo petista. Já em 2010, Serra sofreria nova derrota, desta vez para o "poste" Dilma Rousseff. E em 2014, na mais acirrada disputa Presidencial desde 1989, Dilma acabou reeleita, abatendo o tucano Aécio Neves no segundo turno.

Notícias Relacionadas