geral 03/01/2018 às 15:01

Evitar a venezualização do Judiciário será uma das prioridades na eleição Presidencial

Presidente eleito em outubro poderá indicar ao menos dois novos Ministros ao STF. Se a esquerda vencer, o Tribunal se tornaria uma extensão de sua hegemonia.

Quem assumir o Planalto em 2019 terá uma missão muito importante além de governar o país. Escolherá pelo menos, mais dois ministros do Supremo Tribunal Federal, que atingirão a idade-limite de 75 anos para atuarem. Celso de Mello completa a idade em novembro de 2020 e Marco Aurélio, em julho 2021.

Na atual composição da corte, apenas Celso de Mello, Marco Aurélio de Mello, Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes foram indicados por Presidentes que não eram petistas. Celso de Mello foi indicado por José Sarney, Marco Aurélio de Mello por Fernando Collor, Gilmar Mendes por Fernando Henrique Cardoso e Alexandre de Moraes pelo atual Presidente, Michel Temer.

Carmen Lúcia, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski foram indicações do ex-Presidente Lula. Já Dilma Rousseff emplacou os Ministros Rosa Webber, Roberto Barroso e Edson Fachin. Caso o eleito em outubro se candidate à reeleição em 2022 e seja eleito, poderá escolher mais dois ministros nos lugares de Ricardo Lewandowski, que chega aos 75 em maio de 2023 e Rosa Weber, em outubro do mesmo ano. 

Notícias Relacionadas