economia 27/12/2017 às 19:07

Dedicados a atacar a Reforma Trabalhista, jornalistas distorcem dados positivos do mercado de trabalho

Mesmo com dados positivos sobre a economia e a redução do desemprego, jornalistas tentam distorcer estatísticas a fim de forçar a barra contra a Reforma Trabalhista.

De acordo com o resultado do CAGED de novembro, houve queda de 12.3 mil empregos no Brasil neste período. Para atacar a Reforma Trabalhista, jornalistas mal intencionados têm usado esta estatística como se fosse algo ruim, como se o dado fosse negativo. E eles fazem isso porque olhando assim, o dado isolado, ele parece mesmo ruim. No entanto, não é desta forma que se analisa uma informação como esta.

Sim, ainda é ruim que mais de 12 mil pessoas tenham perdido emprego neste período, contudo há um fator relevante para uma análise estatística justa e honesta: observar o mesmo período do ano anterior, inclusive para corrigir sazonalidades. Neste caso o que temos é um dado muito positivo. Para se ter uma ideia, no mesmo período do ano passado houve um dado muito pior: queda de 118,32 mil empregos.

Sim, é isso mesmo. No mesmo período, no ano passado, a queda foi quase dez vezes maior, e isso ocorreu muito tempo antes de a reforma trabalhista entrar em vigor. Aliás, ocorreu ainda no mesmo ano em que Dilma Rousseff governou o país até maio, e como bem se sabe a economia não é um setor em que as medidas surtem efeitos imediatos. Tudo o que é decidido causa impacto gradual e culmina em um resultado no futuro, e é por isso que as políticas econômicas de Lula, por exemplo, resultaram em uma crise econômica apenas no final do primeiro mandato de sua sucessora, pois tudo o que foi feito demorou a nos trazer os efeitos colaterais.

A verdade é que há mais militantes nas redações dos jornais brasileiros do que jornalistas de verdade.

Notícias Relacionadas