politica 11/12/2017 às 17:27

Em 1999, Bolsonaro queria aprender com Chávez como implantar sua filosofia no Brasil

Embora seja considerado o "bastião da Direita" no Brasil, Jair Bolsonaro é claramente o maior Cavalo de Troia que já existiu por estas bandas...

Antes de começar a fingir o personagem de "caçador de comunistas", o deputado federal Jair Bolsonaro, que na época já estava em seu terceiro mandato na Câmara, era mais conhecido como um aliado dos comunas do que como adversário. Em discurso feito por ele próprio na Câmara, cujo áudio pode ser ouvido clicando aqui, ele até mesmo declarou ter apoiado Ciro Gomes e Lula na campanha de 2002.

No entanto, uma de suas melhores atuações como aliado dos vermelhos ocorreu ainda em 1999, quando deu entrevista ao Estadão. Na ocasião, o então deputado federal que hoje é visto como "bastião da direita" no Brasil estava apoiando Hugo Chávez e ainda o elogiava publicamente. Mais do que isso, ele até mesmo comparou o ditador venezuelano com seu ídolo, o marechal Humberto de Alencar Castelo Branco.

Para quem duvida, a matéria também pode ser acessada através do acervo do Estadão, clicando aqui.

Em outros momentos, ainda naquela época, Jair Bolsonaro chamava figuras como Vanessa Grazziotin e Jandira Feghali, ambas do PCdoB, de "nobres deputadas", e seu relacionamento com a bancada vermelha no Congresso era o melhor possível. Eles estavam aliados contra os avanços feitos por FHC na economia, se aliaram contra a privatização da Telebrás, atuaram juntos contra o Plano Real, e dentre outras coisas foram totalmente fieis aos interesses petistas.

A verdade é que Bolsonaro só começou a se mostrar claramente contrário a tudo isso na ocasião do Kit Gay, quando o Congresso pretendi passar uma proposta do MEC para incluir educação homossexual em escolas para crianças. Antes e depois disso, nas pautas políticas e econômicas mais relevantes, Bolsonaro sempre foi amigo da foice e do martelo.

Notícias Relacionadas