politica 24/11/2017 às 07:11

Putin ordena que indústria russa esteja pronta para a GUERRA

Vladimir Putin emitiu uma diretiva para que todas as empresas de grande porte no país estejam prontas para se converterem em produção de guerra, sem aviso prévio

Com a recente escalada da retórica anti-Rússia no Ocidente, com o 'russogate' nos Estados Unidos e com países europeus acusando a Rússia de interferência em eleições e até mesmo no referendo do Brexit, o presidente russo, Vladimir Putin, recentemente convidou todas as "empresas de grande porte" a estarem prontas para "aumentar a produção militar", reagindo de forma rápida, em caso de necessidade, de acordo com o jornal inglês The Independent:

O negócio russo deve estar preparado para mudar a produção para necessidades militares a qualquer momento, disse Vladimir Putin na quarta-feira. O presidente russo estava falando em uma conferência de líderes militares em Sochi.

"A capacidade da nossa economia de aumentar a produção e os serviços militares em um determinado momento é um dos aspectos mais importantes da segurança militar", disse Putin. "Para este fim, todas as empresas estratégicas e de grande escala devem estar prontas, independentemente a quem pertençam". 

Um dia antes, o presidente havia falado de uma necessidade de alcançar e ultrapassar o Ocidente em tecnologia militar. "Nosso exército e a marinha precisam ter o melhor equipamento - melhor do que equivalentes estrangeiros", disse ele. "Se queremos ganhar, temos que ser melhores".

O The Independent observa que as despesas militares da Rússia atravessarão 3 trilhões de rublos, ou 3,3% do PIB em 2017, o que seria um recorde, se não fosse por custos únicos em 2016. Nos próximos dois anos, prevê-se que os gastos sejam cortados ligeiramente para aproximadamente 2,8% do PIB.

Embora esse orçamento permaneça menor que 30% do orçamento combinado da OTAN na Europa, muitos países estão aumentando seus gastos militares em resposta à "ameaça russa". O comando militar da Otan também foi reestruturado - em resposta a ameaças cibernéticas e militares russas.

Enquanto isso, a segunda-feira passada, a primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que o Reino Unido lideraria uma resposta para combater a "hostilidade russa" dizendo "sabemos o que você está fazendo e você não terá sucesso".

"É a ação da Rússia que ameaça a ordem internacional da qual todos nós dependemos". Desde então, a Rússia fomentou o conflito no Donbass, violou repetidamente o espaço aéreo nacional de vários países europeus e montou uma campanha sustentada de espionagem cibernética e ruptura ".

"Implantando sua organização de mídia estatal para plantar histórias falsas e imagens fotográficas na tentativa de semear a discórdia no Ocidente e minar nossas instituições".

"Então eu tenho uma mensagem muito simples para a Rússia. Nós sabemos o que você está fazendo. E você não terá sucesso ".

É claro que toda essa crescente hostilidade nasceu da incapacidade de Hillary Clinton de simplesmente admitir que perdeu uma eleição ... não, foram US$ 100.000 dos anúncios russos do Facebook que mudaram o curso da história humana para sempre ...

Notícias Relacionadas