economia 23/11/2017 às 17:17

Medidas fiscais implantadas por Meirelles geram mais de R$ 12 bi de impacto

Medidas economizam dinheiro público, melhoram as condições fiscais do País e contribuem para a construção de um cenário de menor desigualdade.

Sem afetar o orçamento das famílias de renda mais baixa, o Governo do Brasil tomou medidas que vão aumentar a arrecadação de impostos e ainda economizar o dinheiro público. São ações que nenhum outro governo teve coragem de tomar. O objetivo é gerar um impacto positivo de mais de R$ 12 bilhões para os cofres estatais. Para isso, o governo aumentou a tributação sobre a parcela de brasileiros que é mais rica, classificada como grandes investidores, e não sobre os pobres. Os tributos cobrados desse público, que aplicam em fundos chamados de “exclusivos”, vão ajudar a fortalecer o País.

Além disso, o governo adiou os reajustes de servidores que têm salário acima de R$ 15 mil. A contribuição previdenciária desses funcionários também vai aumentar. Essas medidas são importantes porque o País está de saída de uma grave crise e começa a crescer. Para continuar nesse cenário de melhora, o Brasil precisa trabalhar unido, e essas mudanças contribuem para a construção de um cenário mais igualitário e justo.

A soma do que será economizado com o incremento de arrecadação é equivalente a cinco meses de Bolsa Família. Quando se avalia o custo anual por estudante do ensino básico, seria possível manter 4.382 alunos por 12 meses. Essas medidas, na prática, melhoram a distribuição de renda e ajudam a minimizar desigualdades. As medidas provisórias já estão valendo, mas precisam ser avaliadas pelo Congresso Nacional. O Legislativo tem de decidir se essas ações vão valer com essas regras ou se passarão por mudanças.

 

Notícias Relacionadas