economia 14/11/2017 às 15:38

Temer não recua e Reforma Trabalhista acaba com farra de sindicalistas

Presidente mantém fim do imposto sindical, acabando com indústria bilionária da criação de sindicatos.

Os sindicatos espernearam, fizeram birra, ameaçaram greves, mas nada disso adiantou: o Presidente Michel Temer decidiu não incluir, nas medidas de “revisão” da reforma trabalhista que fará por Medida Provisória, o retorno da “contribuição” obrigatória que garantia à pelegada receita anual de cerca de R$ 3,5 bilhões. A contribuição sindical morreu, segundo um dos ministros mais influentes. Entre os ajustes previstos estão a desvinculação das indenizações do salário e entrega de comprovantes de FGTS e INSS. As informações são do jornalista Cláudio Humberto, da coluna Diário do Poder.

Centrais sindicais, confederações, federações e sindicatos não estão obrigados a prestar contas de sua receita bilionária. O Congresso aprovou lei submetendo entidades sindicais à fiscalização do Tribunal de Contas da União, mas o então presidente Lula vetou.

 

Notícias Relacionadas