politica 02/11/2017 às 20:50

Partido Democrata não quer contratar brancos, nem homens e mulheres heterossexuais

Memorando emitido por Gerente Nacional do Partido vaza e expõe discriminação.

Uma gerente do Comitê Nacional Democrata (o Diretório Nacional do Partido) teria tentado esconder oportunidades de trabalho de homens e mulheres brancos e heterossexuais. "Eu pessoalmente preferiria que você não encaminhe [os avisos de trabalho] para os homens brancos cisgênero, já que eles já estão na maioria", disse o memorando vazado de Madeline Leader, gerente de serviços de dados do DNC. As informações são do Breitbart.

O termo "Cisgênero" refere-se a pessoas normais e foi inventado para justificar a afirmação de que algumas pessoas podem mudar de sexo porque são "transgêneros". Por exemplo, os esquerdistas argumentam que um homem que tenta viver como mulher é realmente um "transgênero" mulher, e uma mulher normal vivendo a vida como mulher é meramente "cispar".

O pedido do Diretório Nacional do Partido Democrata também exclui pessoas que são brancas e pessoas que não são homossexuais. Aparentemente, o Partido queria que as contratações excluíssem os 95% de pessoas que não são "transgêneros" nem homossexuais. O memorando mostra que Madaleine incluiu a frase "eles/eles/eles/eles". A terminologia é freqüentemente usada por pessoas que desejam desfocar a distinção sexual criada pelos pronomes binários padrão de "ela" e "ele". É freqüentemente usado por Pessoas "transexuais" que estão tentando viver como membros do sexo oposto.

O e-mail foi revelado pelo Daily Wire , que também publicou um comentário de um funcionário do Diretório Nacional do Partido Democrata que se manifestou de forma anônima: "Claramente, o Partido está se dobrando em uma estratégia fracassada que alienou funcionários e eleitores. Queremos ser julgados com base na qualidade do nosso trabalho e não na política de identidade. Como podemos confiar na liderança do DNC se eles nem confiam em nós?", disparou.

Madaleine não pediu a exclusão de pessoas por causa de suas nacionalidades, como americanas ou irlandesas, por isso não há provas de discriminação ilegal de origem nacional no memorando. O Partido Democrata não respondeu a um pedido de comentário.

A terminologia transgênero é confusa, em parte porque até mesmo o termo "gênero" foi inventado para ajudar os radicais sexuais a argumentar que o sexo biológico de uma pessoa não deveria ter impacto nas leis e nas práticas sociais. Dentre as propostas destes radicais estão a da criação do atletismo unissex ou chuveiros unissex. Esquerrdistas argumentam que cada pessoa tem um gênero que pode ser diferente do seu sexo biológico e que, se um homem tiver a "identidade de gênero" de uma mulher, o governo deve garantir que outros o tratem como uma mulher.

Nos Estados Unidos, o impulso esquerdista para dobrar as atitudes da sociedade a respeito das diferenças entre os sexos em torno da ideologia do transgênero e do "gênero" flexível já atacou e quebrou práticas sociais populares. Por exemplo, as reivindicações de gênero mudaram as regras ou práticas sobre banheiros de sexo diferente, abrigos para mulheres maltratadas, ligas esportivas para meninas, grupos de caminhadas para meninos, currículos K-12 , códigos de fala da universidade, liberdades religiosas, liberdade de expressão, status social das mulheres, dos direitos dos pais em educação infantil, práticas para ajudar as adolescentes, as expectativas das mulheres em relação à beleza, cultura e sociedade civil, pesquisa científica, segurança da prisão, cerimônias cívicas, regras da escola, sentido masculino da masculinidade, aplicação da lei e privacidade sexual das crianças.

Notícias Relacionadas