geral 02/11/2017 às 14:53 - Atualizado em 02/11/2017 às 14:54

Americanos coletam material genético de cidadãos russos. Putin acusa busca de armas biológicas

Um dia após Presidente russo fazer a chocante denúncia, membro da Força Aérea admite coleta, mas nega intenção de produzir armas biológicas.

Ontem (01), o presidente russo Vladimir Putin chocou os membros do conselho de direitos humanos da Rússia, informando-os de que uma entidade possivelmente com laços com os Estados Unidos havia coletado tecidos biológicos de russos de diferentes grupos étnicos. Enquanto alguns começaram a desconsiderar as observações de Putin como uma outra teoria da conspiração, ele estava certo: o grupo responsável pela coleta de tecido não era outro senão a Força Aérea dos EUA, provando que outra teoria da conspiração se tornou um fato de conspiração. As informações são do site TheDuran.com.

Um representante do Comando de Educação e Treinamento da Força Aérea dos EUA explicou hoje à Rússia que a escolha da população russa não era intencional e está relacionada à pesquisa que a Força Aérea está realizando no sistema musculoesquelético humano. As coletas foram realizadas pela primeira vez em julho, quando a AETC emitiu uma proposta que buscava adquirir amostras de ácido ribonucleico e líquido sinovial dos russos, acrescentando que todas as amostras (12 RNA e 27 fluídos sinoviais) "devem ser coletadas da Rússia e devem ser caucasianos". A Força Aérea disse que não colecionaria amostras de ucranianos, mas não especificou o porquê.

De acordo com o porta-voz da AETC, o capitão Beau Downey, o centro de pesquisa molecular do 59º grupo médico atualmente está realizando "estudos locomotores para identificar vários biomarcadores associados ao trauma". Downey disse à mídia russa que o estudo exigia dois conjuntos de amostras: doenças e amostras de controle de ARN e membrana sinovial. O primeiro conjunto foi fornecido por uma "empresa baseada nos EUA".

Uma vez que o primeiro conjunto de tecido, fornecido por uma empresa dos EUA, foi proveniente da Rússia, a Força Aérea optou por coletar o segundo conjunto de dados dos russos, também, para eliminar quaisquer variáveis ??de confusão que possam distorcer os resultados do estudo. Ele não disse que conjunto - o controle ou o conjunto doente - foi coletado primeiro e negou-se a fornecer mais detalhes sobre o estudo.

A explicação pode soar bastante inocente, mas o Pentágono é tudo menos inocente e pode estar coletando o tecido para um propósito muito mais sinistro. Vladimir Putin levantou alguns questionamentos ao fazer a denúncia nesta quarta-feira. "A questão é: por que está sendo feito? Está sendo feito propositalmente e profissionalmente. Somos um tipo de objeto de grande interesse", disse Putin ao Conselho de Direitos Humanos da Rússia, sem especificar quem poderia estar por trás das atividades envolvendo amostras biológicas russas. "Deixe-os fazer o que eles querem, e nós devemos fazer o que precisarmos", disse ele.

O fato de as amostras de tecido russas estarem especificamente na lista desejada fez com que alguns se perguntem se o Pentágono está trabalhando em uma arma biológica para atingir os russos. "Não estou dizendo que se trata de preparar uma guerra biológica contra a Rússia. Mas seus cenários, sem dúvida, estão sendo trabalhados. Ou seja, no caso de a necessidade surgir de repente", afirmou Franz Klintsevich, primeiro vice-presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação Russa.

"Também não é segredo que diferentes grupos étnicos reagem de forma diferente às armas biológicas. Daí a coleta do material biológico de russos que vivem em locais geográficos diferentes. No oeste, tudo é feito de forma extremamente escrupulosa e é verificado até o menor detalhe", completou Klintsevich.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, confirmou na terça-feira que os serviços especiais russos estão em posse de material da Inteligência, sugerindo que ONGs estão coletando o material genético - estes informes provavelmente foram a base da afirmação inicial de Putin sobre quem poderia estar por trás das coletas.

Notícias Relacionadas