politica 01/11/2017 às 15:22

Israel vai pra cima de Soros com projeto de lei que proibirá financiamento de esquerdistas

Projeto conta com o apoio do Primeiro-Ministro, Benjamin Netanyahu.

O deputado Miki Zohar, membro do Likud, partido do Primeiro-Ministro de Israel Benjamin Netanyahu, anunciou na segunda-feira (30) que enviará um projeto de lei que tornaria mais difícil para as organizações de esquerda receber financiamento de organizações consideradas hostis a Israel. O projeto tem um alvo definido: o multi-bilionário George Soros, notório patrocinador de organizações esquerdistas em todo o mundo. As informações são do jornal Haaretz.

Zohar disse que estava apontando para doadores que como Soros doam para organizações como Adalah - o Centro Jurídico para os Direitos da Minoria Árabe em Israel, B'tselem, Breaking the Silence, Ir Amim, Machsom Watch, Yesh Din e o New Israel Fund, todas anti-sionistas.

Ele afirma que tais doadores devem ser considerados antisemitas, inflamatórios e hostis, e as doações deles para organizações sem fins lucrativos ou corporações israelenses devem ser proibidas. De acordo com o projeto de lei, o Ministério dos Assuntos Estratégicos compilará e atualizará periodicamente uma lista de organismos e organizações hostis a Israel ou definidas como antisemitas.

Soros vai acumulando inimigos mundo afora. Após anunciar semana passada que doaria mais U$ 18 bilhões para as atividades de sua Organização, a Open Society, o Primeiro-Ministro húngaro Viktor Orban decidiu contra-atacar. Orban ordenou que suas agências de inteligência elaborem um plano para atingir o quê considera o Império de Soros.

Notícias Relacionadas