politica 24/10/2017 às 10:27

Temer deve promover Reforma Ministerial após votação de nova denúncia

Com PSDB ainda rachado, partido deve perder espaço na Esplanada dos Ministérios. Aliados do Centrão devem herdar os postos.

Trabalhando para ampliar o resultado conseguido na primeira denúncia apresentada por Rodrigo Janot (263 votos contrários à aceitação), o Presidente Michel Temer também desenha silenciosamente junto aos seus principais articuladores políticos uma ampla Reforma Ministerial para logo depois da votação. O objetivo é bastante simples: premiar aliados fiéis e punir os infiéis. E quando se refere a infiéis, a cozinha palaciana tem um alvo bastante definido: o PSDB.

Na primeira denúncia apresentada contra Temer, os tucanos já racharam. Foram 21 votos pela rejeição da denúncia e 20 favoráveis. Agora, a expectativa é que haja até mesmo uma inversão do resultado, com mais tucanos votando pela aceitação da denúncia do que contrários.

A cobrança entre os aliados para que os tucanos ocupem menos espaços vem há bastante tempo. No atual arranjo do governo, o PSDB ocupa o Ministério das Relações Exteriores, com Aloysio Nunes Ferreira, o poderoso Ministério das Cidades, com Bruno Araújo, o Ministério da Igualdade Racial, com a ministra Luislinda Valois e a nevrálgica Secretaria do Governo, com Antônio Imbassahy. 

Sobrevivendo e Reformando o Governo, Temer começará a se posicionar para que consiga desempenhar um papel, ainda que mínimo, em sua própria sucessão.

Notícias Relacionadas