politica 04/09/2017 às 22:18

Janot se entrega, Joesley fica à beira da cadeia e Temer se consolida

Em dia histórico, com direito a musiquinha do Plantão da Globo, PGR recua e anuncia necessidade de revisão em acordo da JBS.

Quando Janot vazou o primeiro áudio contra Temer para o jornalista Lauro Jardim de O Globo, o mundo político parecia ruir mais uma vez no Brasil. Pedidos de Fora Temer, gritaria nas redes sociais, membros da Lava-Jato de Curitiba cada vez mais salientes, tudo indicava para mais uma ruptura dramática em Brasília. Contra todos os prognósticos, Temer resolveu resistir. E com a coletiva de Janot no final da tarde desta histórica segunda-feira, 4 de setembro de 2017, sua decisão não poderia aparecer como mais acertada.

Com direito a Plantão da Globo e sua dramática vinheta, tudo indicava que teríamos mais uma denúncia contra Temer. Foi, inclusive, o quê os porta-vozes extra-oficiais de Janot e da Lava-Jato, a turma do blog O Antagonista, anunciaram. O balde de água glacial veio logo em seguida: Janot explicou que novos áudio envolviam o ex-Procurador Marcelo Miller, ex-braço direito de Janot na PGR, em negociações com Joesley ainda quando exercia sua função de Estado. Mais: Joesley teria ocultado outros crimes nos quais havia se envolvido na hora de fechar seu acordo de delação.

A casa do golpe contra Teme que já havia caído na absoluta ausência de apoio popular e sua conseqüente derrota na Câmara dos Deputados acabou de ruir ao fim da coletiva de Janot.

O PGR em fim de mandato se rendeu. Joesley está muito próximo de ir em cana. E Temer aparece mais forte do que nunca.

A política brasileira, definitivamente, não é para amadores.

Notícias Relacionadas