politica 23/08/2017 às 12:18

Catalunha. Juiz revogou ordem de expulsão do cérebro dos ataques em 2015

A ordem de expulsão coincidiu com a condenação a quatro anos de prisão por tráfico de droga e deveria ter sido executada quando o imã saiu da prisão em 2014

Abdelbaki Es Satty, o imã de Ripoll apontado como o cérebro da célula responsável pelos atentados na Catalunha, teve ordem de expulsão da Espanha, mas esta não foi concretizada. O juiz revogou o pedido com o argumento de que não era uma "ameaça real".

O jornal espanhol “El Mundo” escreve que em Março de 2015 o magistrado Pablo de la Rubia, do julgado contencioso-administrativo de Castellón, revogou o pedido por entender que o crime pelo qual ele deveria ser expulso (tráfico de droga) era "um fato criminal isolado”.

Argumentou também que Satty teria demonstrado "esforços para se integrar na sociedade espanhola", avança o jornal que teve acesso à sentença.

A ordem de expulsão coincidiu com a condenação a quatro anos de prisão por tráfico de droga e deveria ter sido executada quando o imã saiu da prisão, a 29 de Abril de 2014.

O advogado de defesa recorreu do pedido de expulsão, alegando direitos de protecção internacional para o réu e, embora a Subdelegação do Governo em Castellón tenha rejeitado o recurso, o juiz Pablo de la Rubia aceitou.

Com a decisão do juiz, Satty podia circular livremente por todo o país, assim como pelos outros Estados-membros da União Europeia. A sentença deixa claro que para Pablo de la Rubia o marroquino, residente na Espanha desde 2002, não era considerado um perigo e estava completamente integrado.

Os dois ataques foram reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Notícias Relacionadas