geral 21/08/2017 às 06:20

Caça ao condutor do ataque em Barcelona agora é em toda a Europa

A polícia procura Younes Abouyaaqoub, de 22 anos, nascido no Marrocos.

O Governo espanhol confirma que foram alargadas para toda a Europa as operações de busca pelo principal suspeito do atentado em Barcelona.

As autoridades estão coordenando as operações com as polícias europeias para encontrar o marroquino Younes Abouyaaqoub, de 22 anos, suspeito de conduzir a van que atropelou centenas de pessoas nas Ramblas.

"Esta pessoa já está sendo procurada não somente na Catalunha mas em todos os países europeus, este é um esforço das polícias europeias", disse o conselheiro do Interior da Catalunha, Joaquim Forn, esta segunda-feira.

Younes já vivia há alguns anos em Ripoll, na província catalã de Girona, onde frequentou o ensino secundário. Segundo testemunhos ouvidos pela imprensa espanhola, tinha uma vida normal e andava sobretudo com outros jovens de origem marroquina.

A polícia terá encontrado documentos de identificação de Abouyaaqoub dentro da van interceptada pela Mossos, depois do atropelamento na Praça da Catalunha. Crê-se agora que, depois da explosão em Alcanar (na quarta-feira), Abouyaaqoub se separou do resto da célula terrorista e levou a cabo o ataque nas Ramblas.

A polícia catalã (Mossos d’Esquadra), que começou por suspeitar de Driss Oukabir, um marroquino de 28 anos entretanto detido, e depois do irmão, Moussa Oukabir, de 17 anos.

Mas concluiu-se depois que Moussa era um dos indivíduos mortos pela polícia durante o ataque. Said Aallaa, de 19 anos (abatido nas Ramblas), e Mohamed Hychami, de 24 (em Cambrils), foram os outros corpos identificados. Restam dois dos cinco suspeitos abatidos. 

Entretanto, a polícia deteve quatro homens (de 21, 27, 28 e 34 anos), três marroquinos e um espanhol. As autoridades acreditam que estes homens faziam parte de uma célula terrorista de 12 pessoas, que estariam preparando um grande atentado em uma casa em Alcanar.

O autodenominado Estado Islâmico reivindicou os dois ataques. O de Barcelona, onde uma van branca matou 13 pessoas e feriu mais de 100. Na estância de Cambrils, um veículo subiu a calçada e atropelou várias pessoas antes de bater em uma viatura policial. Este ataque matou uma pessoa e feriu outras 15.

O comunicado do grupo terrorista, divulgado pela sua agência de propaganda, a Amaq, confirmou que "dois esquadrões de 'jihadistas'" levaram a cabo os dois ataques que tinham como alvos "concentrações de cruzados".

O Governo espanhol decidiu manter o nível 4 de alerta terrorista, depois de uma reunião extraordinária convocada pelo Ministério da Administração Interna com os responsáveis máximos da luta antiterrorismo, na sequência dos atentados em Barcelona.

Notícias Relacionadas