politica 13/08/2017 às 14:17 - Atualizado em 13/08/2017 às 14:17

Gerhard Schröder, ex-chanceler alemão, foi nomeado para a administração de petrolífera estatal russa Rosneft

Depois do envolvimento no negócio do gás natural, o ex-chanceler alemão vai ter funções importantes na Rosneft, uma das principais empresas sob influência direta do Kremlin.

O ex-chanceler alemão, Gerhard Schröder, foi nomeado para integrar a administração da Rosneft, a empresa estatal russa de exploração petrolífera. Schröder era já o presidente do consórcio que gere o gasoduto Nord Stream, que liga a Rússia à Alemanha.

A nomeação foi publicada na sexta-feira através de um decreto assinado pelo primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, em que é apresentada uma lista com os nomes propostos para integrar a administração da empresa, cujo acionista majoritário é o Governo russo. Se a assembléia de acionistas, marcada para 29 de Setembro, segundo o Financial Times, aceitar as propostas, Schröder será um dos diretores independentes à frente da Rosneft.

As ligações entre Schröder e o mundo empresarial russo vêm de longe. Em 2005, depois de perder as eleições para Angela Merkel, Schröder assumiu a presidência do consórcio para a construção de um gasoduto que iria ligar Viborg, no Mar Báltico, até Greifswald, no norte da Alemanha. O objetivo era garantir um fornecimento direto de gás natural russo à Europa que não estivesse dependente da rota ucraniana – onde as disputas contratuais eram frequentes.

Enquanto chanceler, Schröder foi um forte apoiante da iniciativa e, por isso, a sua passagem direta para a administração da Nord Stream, que é detida na sua maioria pela russa Gazprom, foi considerada polêmica na época.

Agora, Schröder pode acumular as funções na Nord Stream com o cargo na Rosneft, a petrolífera estatal que é alvo de sanções da União Europeia na sequência da anexação russa da Crimeia, e que é liderada por Igor Sechin, amigo de longa data do Presidente Vladimir Putin, e também sancionado.

Notícias Relacionadas