politica 21/06/2017 às 18:26

Instituto aponta: não há razões para prender ou manter Aécio afastado do mandato

Instituto Teotônio Vilela aponta que além de não comprovadas, acusações contra o senador mineiro não são de crimes inafiançáveis, requisito para prisão ou afastamento.

O Instituto Tetônio Vilela, ligado ao PSDB, emitiu uma carta de formulação e mobilização política se manifestando contra a manutenção do afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e rechaçando a possibilidade de o tucano ser preso. A nota foi publicada no mesmo dia em que o Ministro Marco Aurélio de Mello, relator do caso envolvendo o senador mineiro no STF, decidiu adiar o julgamento, sem marcar ainda uma nova data para apreciação dos fatos. As informações são do UOL.

"Não há, na letra fria da lei, razões para Aécio estar afastado do Senado. Menos ainda, e este é ponto que merece maior atenção, justificativa para que ele seja preso", diz a resolução do instituto, que é presidido pelo ex-senador José Aníbal (PSDB-SP). 
O instituto argumenta que, para um parlamentar ser preso, a Constituição exige que haja caso de flagrante por crime inafiançável.

"Não é o caso do senador por Minas. As acusações que pesam contra ele são de corrupção passiva e tentativa de obstrução de Justiça. Nenhuma delas comprovada em fatos", argumenta o ITV. 

A nota do Instituto ataca Joesley Batista e critica a Procuradoria por "premiar" o empresário. "A base da acusação é uma gravação forjada por um criminoso que confessou nada menos que 240 condutas criminosas, que seriam capazes de lhe render mais de 2 mil anos de cadeia, mas foi premiado com liberdade e anistia total pela mesma PGR que ora acusa Aécio", dispara.

Notícias Relacionadas