politica 17/04/2017 às 15:35 - Atualizado em 17/04/2017 às 15:44

Marcelo Odebrecht revela os favores do governo petista para Mino Carta e sua revista

Delação de empreiteiro revela a relação promíscua de veículo de comunicação com políticos e esquema da Lava Jato

A delação de Marcelo Odebrecht, e também a de seu pai, Emílio Odebrecht, não são apenas reveladoras da natureza real da política brasileira, mas também da relação que ela tem com certos veículos de mídia. É o caso da revista Carta Capital, do jornalista Mino Carta.

Históricamente identificada com o governo petista, o que ficou claro nos depoimentos dados pelos empreiteiros, é que essa identificação era precificada pelos favores mútuos prestados. Enquanto a revista vinha com uma linha editorial "interessante pro governo", nas palavras do próprio Marcelo Odebrecht, as figuras de relevo do governo a auxiliavam financeiramente, inclusive com pedidos de recursos para as empreiteiras envolvidas na Lava Jato.

Confiram o trecho transcrito do depoimento de Odebrecht, e em seguida os vídeos completos:

"Houve, no passado, um pedido, do Guido pra mim, para a apoiar a Carta Capital, que estava em dificuldade. E ai, na época, eu conheci o Mino Carta, entendeu... A Carta Capital faz uma linha interessante pro governo, eu atendi esse pedido. Só que o que é que eu disse tanto para o Guido quanto para o Mino: que eu não ia aparecer. E ai o que é que a gente fez? A gente usou a nossa área de Operações Estruturadas, a gente usou para fazer um fundo, e esse fundo, que a gente não aparecia, ele fazia um investimento... Eu acho que esse investimento foi oficial, quer dizer: Do ponto de vista de Carta Capital, era um investidor minoritário, não do ponto de vista nosso, que foi feito com Caixa 2. (...) O alinhamento com o Mino é que a gente ia entrar como investidor e que a gente ia contribuir na gestão da revista pra que a gente tivesse o retorno sobre esse dinheiro. Depois de algum tempo, pessoal veio me procurar: 'Marcello, só vai dar desgaste. Porque a gente fica contribuindo pra uma gestão profissional e o pessoal lá.. é.. parece que a mídia é muito confusa nesse aspecto.' (...) Em um determinado momento ele falou: 'Sabe de uma coisa, não vamos ter expectativa de retorno, vamos trocar isso por publicidade".


Marcelo Odebrecht e a Carta Capital:



Emílio Odebrechet e a Carta Capital:



Em seu site, a Carta Capital publicou uma nota contando a "verdade sobre o dinheiro da Odebrecht". No texto, a revista informa que "Em 2007 e 2009, a Odebrecht fez um adiantamento de publicidade no valor total de 3,5 milhões de reais a CartaCapital, uma operação normal no mercado", e que "o  adiantamento foi pago da forma tradicional: por meio de anúncios e patrocínios de eventos."

O leitor atento notará que a Carta Capital não nega nenhuma afirmativa de Marcelo Odebrecht. O próprio réu informa que havia trocado os valores por publicidade. O que a Carta Capita não desmente é sua relação de favorecimento com o governo petista. E é isso que macula seu jornalismo, muito mais do que saber ou não se o recurso obtido é fruto de um propinoduto ou não.

Notícias Relacionadas