politica 07/04/2017 às 21:04

Brasil mantém independência e não assina nota conjunta em apoio ao ataque à Síria

Nota assinada por todos os membros do Mercosul e da Aliança do Pacífico em apoio ao ataque ordenado por Donald Trump não conta com assinatura do Brasil.

A nova política externa brasileira, não mais alinhada ao bolivarianismo, vai tomando uma forma cada vez mais independente. Se por um lado o país abandonou o alinhamento automático com as forças de esquerda em escala global, por outro lado isso não significa alinhamento automático com interesses americanos. Um exemplo foi visto nesta sexta-feira (07). Reunidos em Buenos Aires, os Ministros das Relações Exteriores do Mercosul e da Aliança do Pacífico assinaram uma nota conjunta em apoio aos ataques ordenados pelo Presidente norte-americano Donald Trump na Síria. Entretanto, o Brasil ficou de fora.

Questionada na apresentação da nota o porquê de a assinatura do Brasil não constar do documento, a Chanceler da Argentina, Suzana Malcorra, afirmou que o Ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes (PSDB-SP) havia pedido mais tempo para realizar novas consultas. Nunes tratou de deixar claro que não era nada disso: segundo ele, a posição do Itamaraty já estava clara na nota publicada pouco antes da divulgação do documento conjuntocomplementando ainda com o histórico do Brasil de condenar ações militares unilaterais sem o aval do Conselho de Segurança da ONU.

"O Brasil condena o uso unilateral da força sem a autorização das Nações Unidas", afirmou Aloysio Nunes.

Notícias Relacionadas