politica 30/03/2017 às 15:28 - Atualizado em 30/03/2017 às 15:45

Obcecado, dono do Catraca Livre confunde leitores com informações falsas sobre Doria e Holiday

Para prejudicar inimigos que ajudaram a derrotar seu amigão Fernando Haddad, Dimenstein inverte completamente a ordem dos fatos.

As graves denúncias de irregularidades na escolha do programa ‘Ruas Abertas’ na Vila Madalena, onde o prefeito petista Fernando Haddad teria privilegiado a rua dos estabelecimentos do jornalista Gilberto Dimenstein, dono do Catraca Livre, e ignorado o apelo dos moradores sobre as irregularidades e abusos no local, está atormentando o ex-colunista da Folha de São Paulo.

Em postagens recentes, Gilberto Dimenstein apresenta um surto obsessivo contra Fernando Holiday e João Doria, políticos de São Paulo. Para prejudica-los, começou a mentir descaradamente, inventando dados e invertendo a ordem cronológica das coisas.

No dia 28 de março, por exemplo, o jornalista postou em sua página pessoal um texto em que, ironicamente “confessa um crime”. No caso, ele fala que ajudou a fechar o Beco do Batman — guarde bem.

No mesmo texto, Dimenstein faz uma afirmação e lança um desafio: “Juram que eu tenho propriedades no Beco do Batman: se acharem alguma propriedade minha naquele local, passo a escritura”.

Acontece que, apesar de próximo, o Beco do Batman não é a rua em que ficam os estabelecimentos de Dimenstein e jamais foi citada antes do idealizador do Catraca Livre fazê-lo. As denúncias se referem à rua Medeiros e Albuquerque, onde estão o Armazém da Cidade e o Choque Cultural, propriedades do jornalista.

Veja só:



Hoje (30 de março), Gilberto Dimenstein publicou novo texto em sua página pessoal. Vingantivo, ele tenta inverter a ordem cronológica das coisas para atribuir a vingança que ele mesmo promove, ao rival: “Virei foco de uma vingança porque ajudei a revelar o Caixa 2 do MBL e provar como eles utilizam uma máquina de notícias falsas”, diz.

Veja o texto:

Acontece que a reportagem-denúncia do Jornalivre — que ele também ataca — foi publicada antes do fake News BuzzFeed ter falado qualquer coisa sobre caixa 2. Veja as datas:



Como podem ver, a denúncia contra Gilberto Dimenstein precedeu a acusação do BuzzFeed, reproduzida imediatamente pelo Catraca Livre, ainda no dia 13 de março. A diferença entre uma e outra é de aproximadamente duas semanas. 

Pelo visto, o surto desesperado do jornalista que vê o lucro de seus estabelecimentos despencarem junto a sua credibilidade, deve ocultar uma preocupação latente que esquemas do Catraca Livre durante a gestão Haddad sejam revelados.

Notícias Relacionadas