politica 19/03/2017 às 10:31

Do início da carreira como líder operário, Lula termina como herdeiro do malufismo

Ex-Presidente é identificado em camadas mais pobres da população como o novo político do rouba, mas faz. Informação é do jornalista Claudio Humberto.

Paulo Maluf e Luís Inácio Lula da Silva começaram a carreira política praticamente ao mesmo tempo. Nos anos 1970, em plena Ditadura Militar, enquanto Maluf entrava para o cenário como representante civil da linha dura militar, oposta à abertura promovida pelo general Ernesto Geisel e por Golbery do Couto e Silva, Lula se apresentava como o grande líder da emergente classe operária paulista. Enquanto Lula fundava o PT, Maluf era a esperança de gente como o general Sílvio Frota de perpetuar a ditadura.


Passadas três décadas, um encontro: Maluf virou apoiador entusiasta do lulismo em seus dois mandatos, inclusive apoiando Dilma Rousseff (PT), guerrilheira nos anos 1970 como sucessora de Lula. Já Lula fez jus ao novo companheiro, convertendo-se em um político identificado com o "rouba, mas faz", slogan informal que sempre definiu Maluf nas camadas mais pobres da população. As informações são do jornalista Claudio Humberto, em sua coluna Diário do Poder.


Humberto destaca: Maluf foi absolvido no caso “frangogate” e condenado em dois casos. Lula é réu por corrupção, lavagem, quadrilha, enriquecimento ilícito... E encontra mais um ponto em comum entre ambos: Em várias campanhas, como candidato ou “padrinho” de candidatos, o ex-prefeito Paulo Maluf, a exemplo de Lula com Dilma, foi imbatível.


A união entre ambos tornou-se bastante visível na eleição da prefeitura de São Paulo, em 2012, quando Maluf posou junto com Lula e Fernando Haddad, apoiando o petista apoiado pelo antigo sapo barbudo na disputa contra o tucano José Serra.

Notícias Relacionadas