politica 23/02/2017 às 10:06

Nova fase da Lava-Jato se aproxima de Renan Calheiros

Lobistas que teriam pago propina de U$ 6 milhões ao ex-Presidente do Senado são procurados pela Polícia Federal.

A festa recomeçou. A Polícia Federal está nas ruas do Rio de Janeiro desde as 6h da manhã desta quinta-feira para cumprir mandados de prisão na 38ª fase da Operação Lava Jato. São 15 mandados de busca e apreensão e outros dois de prisão preventiva para os lobistas Jorge Luz e Bruno Luz, pai e filho respectivamente. De acordo com a PF eles vão responder pela prática de corrupção, fraude em licitações, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, entre outros crimes.


Jorge Luz é tratado pelos Procuradores da Lava-Jato como o decano das operações financeiras dos esquemas de corrupção no país. Seu nome já tinha aparecido na Lava Jato durante as delações do ex-diretor da área Internacional da Petrobrás Nestor Cerveró e do operador de propinas Fernando Baiano. Em abril de 2016, Cerveró disse ao juiz Sérgio Moro que o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) recebeu propina de US$ 6 milhões por meio do lobista Jorge Luz, em 2006. 


O repasse, segundo ele, foi acertado em um jantar na casa de Jader Barbalho, em Brasília, com a presença de Renan Calheiros, Paulo Roberto Costa e Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro.


Segundo informações preliminares, Jorge e seu filho estariam fora do país, possuindo inclusive dupla cidadania. Seus nomes podem entrar em breve na lista da Interpol.

Notícias Relacionadas