politica 22/02/2017 às 09:18

Novo Ministro do STF, Moraes é crítico do ativismo judiciário e da legalização das drogas

Indicado por Temer, Alexandre Moraes irá ser o revisor da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal.

Alexandre Moraes sempre teve um único projeto político em mente, desde que adentrou a seara pública: tornar-se Ministro do STF. Tendo iniciado uma relação de amizade com o Presidente Michel Temer (PMDB) após desbaratar um esquema criminoso de hackers que invadiu o computador da Primeira-Dama Marcela Temer, tentando chantageá-laacabou convidado para ser Advogado Geral da União de Temer. O Ministro da Justiça escolhido pelo Presidente era Antônio Cláudio Mariz, abatido após uma infeliz entrevista em que bombardeou a Operação Lava-Jato. A Justiça, teoricamente o Ministério mais importante da Esplanada, acabou caindo de graça no colo de Alexandre.
 

A negociação para levá-lo até Brasília foi delicada. O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), de quem Moraes era Secretário de Segurança, não gostaria de colocar sua digital na formação do governo Temer. Alckmin, como se sabe, sonha em disputar a Presidência em 2018. Temer conseguiu convencer Temer e Moraes justamente com o argumento do STF: se era este o projeto pessoal de Moraes, só mesmo estando em Brasília para concretizá-lo.


Durante o processo de candidaturas, logo após a morte do Ministro Teori ZavasckiMoraes chegou praticamente a ser descartado da lista dos ministeriáveis. Com uma ampla mobilização nas redes sociais, a nova direita chegou a dar como certa a indicação de Ives Gandra Martins Filho, Presidente do Tribunal Superior do Trabalho. Ao  fim, prevaleceu a lógica: Temer indicou Moraes, seu Ministro da Justiça, homem de confiança e com uma incrível sorte ao estar no lugar certo e na hora certa.


Daqui a pouco, as 11h, em sessão extraordinária do Senado convocada pelo Presidente Eunício Oliveira (PMDB-CE), Moraes será confirmado no cargo, após ser aprovado na sabatina da Comissão de Constituição e Justiça por 19 votos a 7. Ele precisa de 41 votos no plenário e deve ter bem mais do que isso.


Moraes é um crítico acerbo do ativismo judiciário exacerbado. Entende que o Judiciário deve agir estritamente nos limites da lei. Também é crítico da maioridade penal e da liberação das drogas.


Para os defensores de valores liberais e conservadores, á melhor indicação desde que Lula nomeou o finado Ministro Carlos Alberto Menezes Direito.


Que Moraes ajude a devolver um pouco de equilíbrio ao STF nomeado quase na totalidade por Lula e Dilma.


Se conseguir apenas isso, já terá prestado um serviço inestimável ao país.

Notícias Relacionadas