politica 20/02/2017 às 15:13

Para PF, Lula, Dilma e Mercadante conspiraram contra a Lava-Jato

Relatório enviado ao Ministro Edson Fachin pede o indiciamento da trinca em primeira instância, considerando que nenhum deles possui foro privilegiado.

Luís Inácio Lula da Silva, Dilma Vana Rousseff e Aloízo Mercadante tomaram parte em uma conspiração para embaraçar a Operação Lava-Jato. Esta é a conclusão central do inquérito apresentado pela Polícia Federal ao Ministro Edson Fachin, novo relator da Operação junto ao STF. A Polícia Federal pede ainda que a trinca de petistas seja indiciada em primeira instância, junto à Justiça Federal de Brasília, já que nenhum deles possui foro privilegiado no momento. As informações são dos jornalistas Fábio Serapião e Fausto Macedo, no Estadão.


A PF baseia suas conclusões em um áudio, no qual Mercadante sugere que o ex-senador Delcídio do Amaral, preso em flagrante por tentativa de obstrução da Justiça, tente reverter sua situação no Senado. Mercadante se oferece para fazer uma ponte junto a Renan Calheiros (PMDB-AL) e o advogado Bruno Dantas, então Procurador Geral do Senado. O ex-Ministro da Casa Civil de Dilma vai além: diz que atuaria junto ao Ministro Ricardo Lewandows, do STF, para "encontrar uma saída".


Sobre Lula, a PF usa como base o amplo noticiário político da época, dando conta que a nomeação visava pura e simplesmente dar foro privilegiado ao ex-Presidente, tirando-o da alçada do Juiz Sérgio Moro.


Por fim, a PF pede que o Supremo abra uma investigação a respeito da nomeação do juiz Marcelo Navarro Ribeiro Dantas para o STJ. Segundo a delação premiada de Delcídio, Navarro haveria sido nomeado, com articulação do então presidente do STJ, Francisco Falcão, para proteger o empreiteiro Marcelo Odebrecht, atualmente preso em Curitiba e agora um adepto da delação premiada. 

Notícias Relacionadas