geral 20/02/2017 às 07:56

Ideia de jerico, mutirão para soltar presos faz violência disparar em Manaus

No começo de Fevereiro o número de Homicídios disparou e cresceu mais de 88%.

No Brasil, nada nunca está tão ruim que não possa ficar ainda pior. Quase dois meses após a chacina envolvendo facções rivais no Complexo Penitenciário Anísio Jobim em Manaus, o resultado de uma intervenção desastrada do Judiciário daquele estado agora se faz sentir nas ruas da capital amazonense: a criminalidade disparou e o número de homicídios em Fevereiro aumentou 88%. A ideia de jerico do Judiciário amazonense foi realizar um amplo mutirão para esvaziar as cadeias.


Não é uma prática de toda nova. Meia-volta juízes preocupados com os direitos dos manos realizam este tipo de ação. Consiste em avaliar casos de presos detidos com mandados provisórios, como a prisão preventiva. Supostamente, tais mutirões avaliariam se os requisitos que determinaram a prisão cautelar ainda seguem válidos. Na prática, como sabe qualquer um que já tenha acompanhado um dos tais mutirões, não se avalia nada: o quê acontece é a expedição em massa de alvarás de soltura de forma indiscriminada para todo e qualquer preso que não tenha recebido uma condenação.


Segundo os dados obtidos pela Folha de São Paulojá foram colocados nas ruas, novamente, 821 criminosos que encontravam-se detidos por mandados provisórios. Destes, 295 eram acusados de tráfico de drogas, 259 de roubo e 60 deles são acusados de homicídios.


Além da disparada no número de homicídios, o estado também viu um crescimento de 24% nas ocorrências de roubo e de 20,6% nas de furto.


Como não poderia ser diferente, o Presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, órgão responsável pela farra de solturas no mutirão, nega qualquer relação entre ter libertado uma multidão de potenciais criminosos e o aumento do número de crimes. 


Para Flávio Pescarelli, os dados apresentados pelo governo representam um "pequeno aumento" em relação aos crimes praticados em períodos anteriores. E, é claro, ainda segundo o Magistrado, não são os libertados pelo mutirão que estão cometendo os crimes. Só não se sabe da onde Pescarelli tira tamanha certeza.


Este Sul Connection segue abismado: quanto tempo demorará até que Magistrados compreendam que bandido preso não está nas ruas para cometer crime?


Por quanto tempo mais o Brasil abusará da lógica e do bom senso no combate à criminalidade?

Notícias Relacionadas