politica 17/02/2017 às 15:10

Onyx volta à Câmara encampando a luta contra o desarmamento

Deputado gaúcho, que liderou a heroica resistência pela manutenção das 10 Medidas Contra a Corrupção, agora trabalha para devolver o direito à defesa ao povo.

Ano passado o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) viu-se com uma missão inglória: relatar as 10 Medidas Contra a Corrupção em uma Câmara dos Deputados disposta a tudo para desfigurar o projeto. Lorenzoni chegou a se ver sabotado até mesmo por seu colega de partido, o Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que colocou o projeto em votação na calada da madrugada. Apesar de ter sido derrotado pela conspiração noturna no interior da Câmara, Onyx saiu de todo o processo muito maior perante a opinião pública. 


Agora, com esta nova dimensão política conquistada, Onyx volta à Câmara com outra pauta de amplo interesse da sociedade: o direito dos cidadãos de bem à própria defesa. Nesta nesta terça-feira (14), no Plenário da Câmara, o parlamentar gaúcho defendeu o direito do brasileiro de ter uma arma de fogo, diante dos altos índices de violência no país.


“O Estatuto do Desarmamento nada mais foi do que um discurso hipócrita, de que desarmando a sociedade, nós iríamos controlar e evitar o aumento da criminalidade no Brasil”, afirmou Onyx, denunciando em seguida: “mas não era nada disso. Fazia parte do projeto petista de dominação e poder”.


Onyx lembrou que desde o início do governo Lula, em 2003, quando foi criada a lei conhecida como Estatuto do Desarmamento, o comércio legal de armas de fogo diminuiu 90%. No mesmo período, entretanto, a violência aumentou “exponencialmente”, pois quem entregou armas foram os “cidadãos de bem” e não os bandidos. Em 2005, o Estatuto do Desarmamento foi objeto de referendo, sendo rejeitado por cerca de 64% da população. Resultado que não teve repercussões práticas.

Notícias Relacionadas