economia 08/02/2017 às 07:52

Solução: Doria tem lista de 52 privatizações em São Paulo

Início das privatizações se dará com a gestão do Bilhete Único. Prefeito segue agindo com coragem e ignorando as patrulhas.

João Doria Jr. é um inegável fenômeno político, de gestão e de comunicação. Tendo sido praticamente um candidato outsider na eleição paulistana, foi o primeiro prefeito na história a ser eleito em primeiro turno na maior megalópole da América do Sul. Com o slogan de Acelera São Paulo, desde então Doria não tirou o pé do acelerador.


Na campanha, prometeu que iria varrer as ruas junto com os garis. Cumpriu nos primeiros dias. Acusado de populismo, voltou pras ruas, novamente vestido de gari e continuou varrendo. Disse que faria visitas surpresas em Postos de Saúde. Já fez várias. Acusado de populismo mais uma vez, respondeu indo para uma entrevista na CBN, rádio do grupo Globo vestido de gari.


Agora, Doria pretende dar início a um amplo e nunca antes visto processo de privatização no município. São 52 áreas que Doria lista como passíveis de serem privatizadas. E o começo de tudo se dará através da gestão do Bilhete Único.


O Bilhete Único é um belo exemplo de como certas áreas ficarem nas mãos do poder público é pura burrice movida a ranço ideológico. Nas mãos da iniciativa privada, com uma imensa base de usuários, poderia integrar serviços como Vale-Refeição, cartões de débito e crédito. Nas mãos da Prefeitura custa a bagatela de R$ 456 milhões por ano ao contribuinte para ser mantido.


Doria tem ainda na lista de bens privatizáveis o Autódromo de Interlagos, o Anhembi e o Estádio do Pacaembu.


Com mais de 30 anos de atraso, considerando que Reagan e Tatcher chegaram ao poder nos Estados Unidos e na Inglaterra ainda no início dos anos 1980, o Brasil vai descobrindo uma gestão liberal pela primeira vez.


Todos que tem algum compromisso e torcem pelo futuro do país estão em pensamento torcendo por Doria.

Notícias Relacionadas