politica 07/02/2017 às 10:23 - Atualizado em 30/03/2017 às 15:41

Presidente da Câmara britânica diz que vetará discurso de Trump

Fiasco é gigantesco e levou o conservador John Bercow a ser chamado de hipócrita até mesmo por colega iraquiano.

O clima anti-Trump no mundo está gerando uma onda oportunista entre políticos que querem ficar bem com a grande mídia e o beautifull people. Sendo assim, nem mesmo o conservador John Bercow, Presidente da Câmara dos Comuns do parlamento britânico conseguiu escapar incólume ao populismo oportunista atacando o Presidente dos Estados Unidos.


Em uma segunda-feira que não conta com maiores atividades no Parlamento britânico, Bercow assumiu o microfone para afirmar que vetará um eventual discurso de Trump em uma eventual visita de Estado. Na Inglaterra, para que um líder estrangeiro discurse diante da Câmara dos Comuns e dos Lordes, é necessário a anuência do chefe do Legislativo.


Sem qualquer surpresa, Bercow foi aplaudido pelo líder da oposição trabalhista, o ultra-esquerdista Jeremy Corbin, recentemente acusado de anti-semitismo.


Bercow foi criticado pelo Presidente da Comissão de Relações Exteriores, o também conservador Crispin Blunt, que afirmou que o Presidente da Casa desconhece as regras e os arranjos para visitas de Chefes de Estado.


A cereja do bolo foi a paulada recebida do também colega conservador, Nadhim Zahawi, de origem iraquiana, um dos países atingidos pela medida de Trump de evitar a entrada de imigrantes de nações com maioria muçulmana. "Acredito que é, para mim, pouco inteligente, porque se expõe a ser acusado de hipocrisia", disse Zahawi à rádio BBC 4.


A hipocrisia fica evidente, já que o mesmo Bercow que agora quer recusar um discurso de Chefe de Estado para Donald Trump, Presidente democraticamente eleito do maior aliado da Grã-Bretanha, já recebeu na Câmara dos Comuns figuras como o ditador comunista da China, Xi Jinping e até mesmo o Emir do Kwait.


A Primeira-Ministra, Tereza May, vem trabalhando consistentemente para se aproximar cada vez mais de Trump, mantendo firme a aliança transatlântica entre as duas nações-irmãs.


O preconceito e o oportunismo em relação a Trump estão fazendo mal em todo o mundo.

Notícias Relacionadas