politica 06/01/2017 às 12:20

Prepare-se: a guerra no Norte chegará às ruas do Centro-Sul

* Opinião. Regina Brasília.

Sobre "caos no sistema penitenciário" e o apelo à empatia, só por hoje, vamos brincar de pensar e agir como adultos. Aos fatos!


Não é correto falar em caos no sistema penitenciário. O caos é a desgovernança da segurança pública, das fronteiras às ruas. Esse "caos no sistema" não é geração espontânea intramuros, é resultado de 13 anos de completa leniência fronteiriça com o tráfico de armas e drogas, que isso sim, EMPODERA o crime organizado. Poder esse que é consequência TAMBÉM da propagação do mito do brasileiro cordial, inclusive pela imprensa que se finge, na totalidade, "chocada" com a violência.


Aí os hipócritas tupiniquins de moral superior, os bonzinhos, chegam exigindo "empatia". Pois bem, a empatia é uma das maiores causas do avanço civilizatório da humanidade. Na verdade, a principal: só foi possível à civilização erguer-se por causa dela. Mas a empatia é, por essência, traçada entre os que guardam, em suas tantas diferenças, muitas semelhanças.


A selvageria nas cadeias não pode ser espelhada na sociedade, portanto não pode ser acolhida com empatia. Não somos iguais. MESMO! Empatia tenho pela mãe que guarda o prato de arroz e feijão para o filho, coberto por um pano de prato simplezinho, mas bem quarado, e reza à Deus que ele chegue em casa, vivo. Empatia eu tenho pelo pai que chora a morte do seu bebê de 1 ano, por doença que só existe porque falta esgoto e água tratada em sua cidade.


Eu vi as cenas de Manaus, e repito, quem faz aquilo já perdeu, se teve, a sua condição humana. Não me é semelhante em nada. É mais que impossível, a uma pessoa decente, sentir empatia. Nesse caso, é inaceitável. Só é possível no campo canalha das palavras hipócritas.


Agora, não se confundam as minhas certezas acima com comemoração pela matança. Não, não se trata de sentir dó das bestas-feras encarceradas por justa causa. Trata-se de ver "o dia de depois de amanhã", é o que disse no primeiro parágrafo: essa "Guerra dos Tronos" do Norte chegará ao Centro-Sul e quem já passou pela fase dos arroubos hormonais púberes já está percebendo o problema: por aqui ela não se limitará à barbárie intramuros de cadeia. Ela será também disputada nas ruas. E além de não ter uma Cersei para nos divertir, o busílis é que aí sim, se verá o que é caos.


Para manter a guerra pelo trono das facções, o dinheiro virá dos honestos. Preparem-se para grandes assaltos a carros-fortes e agências bancárias (no interior), e o retorno dos sequestros em massa.


Não tem nada de "bem-feito, deixa se matarem" nessa história, pois para isso, eles, os bestiais psicopatas dessa guerra, atacarão a nossa vida.

Notícias Relacionadas