politica 16/12/2016 às 16:27

Pirou: faltando um mês para deixar o cargo, Obama ameaça atacar a Rússia

Presidente-marqueteiro diz que retaliação contra ataques hackers não comprovados pode vir inclusive com ações encobertas.

Barack Hussein Obama é possivelmente o Presidente mais desastrado no trato da questão externa que os Estados Unidos já conheceram. E isto considerando a dificuldade de tirar este título de George W. Bush e sua atrapalhada tentativa de tentar exportar democracia. Entretanto, Obama mostrou que era possível fazer ainda pior do que o antecessor: financiou e apoiou logisticamente o ISIS na Síria e no Iraque, bancou um movimento de desestabilização da Ucrânia e conseguiu gerar um nível de tensão com a Rússia que não era visto basicamente desde que Ronald Reagan tomou posse em 1983.


Seguindo sua apatetatada política, agora Obama resolveu tentar encontrar na marra um novo responsável pela humilhante derrota sofrida por sua candidata, Hillary Clinton, não coincidentemente a responsável pela política externa durante a maior parte de seu mandato. Os culpados seriam hackers russos. É tão crível quanto imputar a derrota a supostos sites de notícias falsas que trabalhariam para Donald Trump. O perigo, no caso de culpar os russos, é que Obama promete retaliar. Um Presidente com pouco mais de um mês de mandato pela frente não parece ter a legitimidade para criar uma tensão bélica com uma potência nuclear.


O Presidente russo, Vladimir Putin, nega enfaticamente qualquer ação que tenha buscado intervir no processo eleitoral americano. Obama e sua CIA não apresentaram até agora nenhuma prova minimamente consistente das acusações. O governo russo nega qualquer interferência. Porta-voz de Putin, Dmitry Peskov qualificou a alegação como "uma piada sem sentido".


Mas a retórica belicista de Obama, prêmio Nobel da Paz de 2008, segue aumentando. O Presidente americano afirmou que a retaliação pode ser pública ou secreta. Uma nítida provocação há menos de um mês da posse de Donald Trump, amigo de Putin e com o qual deve destender as relações entre as potências e devolver um mínimo de estabilidade geopolítica ao mundo.


Esquerdistas são perigosos em qualquer parte do mundo. Um esquerdista como Obama, ainda Comandante-em-Chefe da maior potência militar da história humana é perigosíssimo.


Que 20 de janeiro chegue logo. 

Notícias Relacionadas