geral 16/12/2016 às 10:56

Cartilha Capital: revista petista recebeu R$ 3,5 milhões da Odebrecht

Informação publicada pelo jornal O Globo consta da delação premiada do executivo Paulo Cesena. Repasse foi feito por ordem de Marcelo Odebrecht.

Mino Carta tem um histórico de jornalismo, vamos dizer assim, "independente". No Regime Militar, como editor da Veja, era um notório adulador dos ditadores, tendo começado a arte do puxa-saquismo com Emílio Médici e só tendo encerrado após a saída de Figueiredo. Foi também um notório defensor de Sarney. De Collor. De Itamar. De FHC. Não seria diferente com o petismo.


A diferença fundamental aparece na remuneração: enquanto nos outros governos Carta, aparentemente, só puxava o saco em troca de acesso privilegiado aos Palácios, na era de Lula e Dilma o pagamento veio em espécie. Para seer mais preciso, R$ 3,5 milhões na forma de um "empréstimo" realizado pela empreiteira Odebrecht à sua Editora Confiança (que nome!), responsável pela publicação da Carta Capital.


As informações constam da delação premiada do executivo Paulo Cesena e foram publicadas com exclusividade pelo jornal O Globo, que teve acesso ao documento. 


Pouco a pouco vai se desvelando o preço do tal "jornalismo progressista". É certo que ao fim descobriremos que os otários que pagaram a conta fomos nós mesmos.


Como diria Borys Casói: é hora de passar o Brasil a limpo.

Notícias Relacionadas