politica 09/12/2016 às 17:45

Caiado tem razão: o problema não são os custos da EBC. O problema é a existência da EBC

* Eric Balbinus de Abreu, coordenador do MBL e autor do blog O Reacionário

O senador Ronaldo Caiado teve um de seus momentos na Comissão de Assuntos Especiais do Senado Federal ao comentar sobre a existência da Empresa Brasil de Comunicação. Apesar de ter votado com o relator Laisier Martins, Caiado foi contundente ao denunciar a “monstruosidade” que é a existência da EBC. E disse mais: como é possível falar em gastos em emissora estatal quando o próprio governo se mobiliza por uma PEC que impõe um teto aos gastos públicos?

A questão com a EBC nunca foi o Partido dos Trabalhadores em si. A questão é a democracia e o respeito ao cidadão brasileiro. O problema com a EBC é servir como cabide de empregos para jornalistas vassalos do governo de ocasião. O problema são os salários altos e o custo de seus investimentos, que faz com que esta empresa seja mais destrutiva que um buraco negro. O que faz da EBC um problema é a linha editorial que sempre favorece o governo e suas ideologias, sejam elas quais forem. É servir de asilo para jornalistas que não são capazes de fazer o básico para se manter em atividade, como criar uma página própria para se manter em atividade com seu próprio mérito. Sim, o problema da EBC é sua própria existência.  

Quando Lula criou esta estatal, tratou de convidar a jornalista Tereza Cruvinel para presidir o que mais tarde foi apelidado de TV Lula. Depois veio Ricardo Mello, da Folha. Só não foi destronado, pois o estatuto da empresa estabelece um mandato para o presidente. Foi assim que ele pode fazer suas estripulias ideológicas mesmo após o impeachment de Dilma. Nós, os democratas, denunciamos estas coisas. Mas fomos afrontados pela decisão de Michel Temer de manter a existência da TV Traço. Sim, ninguém assiste a TV Brasil. E nem vamos comentar aqui sobre “A Voz do Brasil”, um resíduo fascista deixado pelo ditador Getúlio Vargas. 

A desculpa usada atualmente é a importância da TV Câmara, TV Senado e TV Justiça. Daí é simples: é só manter as transmissões ao vivo dos trabalhos realizados por estas casas, como as sessões de debates e votações. Não é difícil, ainda mais nestes tempos de grande desenvolvimento das redes sociais. É possível até manter um único funcionário cuidando disso, o mesmo que cuida das redes sociais destas casas. Mas ao que parece. Temer também quer manter institucionalizada a herança maldita de Lula e Dilma. Isso é grave, é uma ofensa. É uma ofensa tão grave que o PT e suas linhas auxiliares não reclamaram. Com essa gente vale sempre o clichê: se eles aprovam, é ruim para o Brasil e para a democracia. 

Notícias Relacionadas