politica 01/12/2016 às 14:24 - Atualizado em 01/12/2016 às 14:40

Gilmar Mendes: o potente cérebro jurídico a favor do establishment

Ministro deixa claro de que lado está em audiência no Senado: entre o povo e a nomenklatura de Brasília, ele fica com o grupo do qual faz parte.

Nos últimos dias uma fratura ficou clara no Brasil: de um lado está a nomenklatura brasiliense, com o funcionalismo mais bem pago do Planeta e os políticos operando para manter o status quo. De outro, uma população desesperada, que mesmo sem entender direito do que tratam ass 10 medidas e quais são as reivindicações do Ministério Público vê na Lava-Jato e no juiz Sérgio Moro os instrumentos para a limpeza do país e a construção de um futuro melhor.


Hoje, em audiência no Senado, mais um representante do establishment resolveu colocar sua privilegiada inteligência e sua potente voz em favor da manutenção do status quo. Gilmar Ferreira Mendes, certamente o mais preparado dos Ministros do STF, ironizou de forma até mesmo grosseira o juiz Sérgio Moro e a Operação Lava-Jato, botando no mesmo saco as 10 medidas contra a corrupção e a famigerada "Lei de combate ao abuso de autoridade".


"Soube que se você contratar o sindicato dos camelôs de São Paulo, consegue 300 mil assinaturas", afirmou Gilmar. "Projetos de iniciativa popular não podem ser canonizados", complementou.


Este Sul Connection lamenta profundamente. Gilmar estaria melhor ao lado daqueles que sempre o defenderam durante longos anos de isolamento numa Suprema Corte esmagadoramente lulista. Parece que ele resolveu fazer parte da turma e sair do isolamento brasiliense. Uma pena.

Notícias Relacionadas