geral 30/11/2016 às 17:19 - Atualizado em 30/11/2016 às 17:23

Ao que tudo indica, avião que levava o time da Chapecoense caiu por falta de combustível

É provável é que uma pane seca tenha sido a origem do desastre.

A causa da queda do avião que levava o time da Chapecoense pode ter sido combustível insuficiente, e não uma pane elétrica. Um fato deixa claro esta conclusão: O avião boliviano da "Lamia", modelo Avro RJ 85, tem autonomia de vôo de 3.000km. A rota aérea entre Santa Cruz de la Sierra na Bolívia e Medellín na Colômbia é de 2.985km. O tempo máximo aproximado no ar, sem reabastecimento, é de 4 horas e 30 minutos. Quando o avião chegou próximo a Medellín, ele já havia voado 4 horas e 15 minutos. 

Ao se aproximar do aeroporto de Medellín, o avião que levava a delegação da Chapecoense teve de aguardar a liberação da pista para iniciar o procedimento de pouso. Caso o avião estivesse com as reservas exigidas nos regulamentos internacionais, isso não seria problema pois não haveria chance de haver uma pane seca (falta de combustível). O fato é que no choque da aeronave, não houve explosão, denotando assim, pouco combustível.

Em matéria do site Uol, o comandante aposentado e instrutor do curso de Ciências Aeronáuticas da PUC-RS, Cláudio Scherer afirma que o mais provável é que a pane seca tenha causado a pane elétrica reportada pelos pilotos do avião à torre de controle. "Os geradores dependem do funcionamento dos motores. Quando eles param, os geradores também deixam de produzir energia e os pilotos perdem os controles do voo".

Notícias Relacionadas