geral 30/11/2016 às 14:13

Aeronave que levava a Chapecoense é de um dos modelos que mais caem no mundo

Quase 10% do total das aeronaves deste modelo já caíram.

O site Aeromagazine.uol.com.br publicou ainda ontem pela manhã um excelente material que ajuda a entender o acidente que eternizou a Chapecoense nas asas de uma tragédiaBaseada no histórico do modelo, a conclusão é inevitável: time, diretoria, repórteres, todos que viajaram rumo à eternidade esperando participar da maior decisão da história do clube correram riscos demais. A aeronave fretada teve cerca de 360 unidades fabricadas até 2002. Destas, 31 já sofreram acidentes, sendo que 15 tiveram perda total.


Em resumo, aproximadamente 10% das aeronaves fabricadas já caíram. Como comparação o Airbus A320 já tem mais de 4.050 unidades produzidas com 71 acidentes e 31 perdas totais. Ou menos de 1%.


Para piorar, o histórico de acidentes aéreos envolvendo a Bolívia é muito maior do que o de Brasil ou Colômbia. A decisão da ANAC, vetando o fretamento da empresa boliviana a partir de São Pauloseguindo rigorosos protocolos internacionais, caso tivesse sido seguida na íntegra, teria aumentado ainda mais a segurança do vôo. 


Vale ressaltar ainda que a Chapecoense seguiu orientação da Conmenbol, a Confederação Sulamericana de Futebol, que orientava a contratação da referida empresa a título de "redução de custos".


Os custos foram enormes. Destrouçou-se o sonho de uma região inteira. 71 famílias chorarão a perda de seus entes queridos. O mundo está em choque.

Notícias Relacionadas