economia 26/11/2016 às 07:59

Com PT, bilhões de reais foram destinados a manutenção da ditadura assassina dos Castro

Ícone da transferência dos recursos brasileiros para a Ilha-Presídio de propriedade dos Castro, apenas Porto de Mariel custo mais de R$ 2,5 bilhões.

Lula, Dilma e o PT sempre viram na Ilha-Presídio de Cuba um modelo. Se não dava para imitá-lo em escala continental, dadas as diferenças brutais de complexidade entre o Brasil e a propriedade privada dos Castro, ao menos dava pra gastar o dinheiro brasileiro por lá, longe de qualquer tipo de controle. Lula não fundou o Foro de São Paulo junto com Fidel em 1990 para "recuperar na América Latina o que perdemos no Leste Europeu" de graça.


Apenas no Porto de Mariel, nababesca obra de infra-estrutura tocada em território cubano, foram U$ 800 milhões, ou R$ 2,64 bilhões a uma taxa de conversão de R$ 3,30 por U$ 1. E isso em um país com gravíssimos problemas de infraestrutura como o nosso.


Dilma lutou para implantar a Cuba continental no Brasil dos anos 1960 e 1970. Graças a Deus, perdeu. José Dirceu, um dos artífices da chegada ao poder, não fez apenas isso: ao ser derrotado aqui, morou e treinou na Ilha, onde foi protegido pelo próprio Raul Castro, irmão de Fidel. Já Lula era amigo do peito do sangüinário ditador falecido desde os anos 1980.


Esta madrugada, Castro morreu. Dilma já sofreu o impeachment. Zé Dirceu está na cadeia.


Mesmo quando a justiça não é feita em vida, como no caso de Castro, o mundo trata de se livrar dos piores ditadores com a morte.

Notícias Relacionadas