economia 18/11/2016 às 09:14

Nuvens negras na economia ameaçam emparedar Temer

Presidente que apostou tudo na retomada econômica como forma de legitimar seu mandato colhe série de notícias negativas.

Michel Temer assumiu a Presidência da República após a queda de Dilma com uma situação complicada de administrar. Uma estagnação que já vinha se arrastando desde 2014 tinha chegado ao seu auge. O governo estava inchado. E seu mandato, ainda que conquistado no bojo das maiores manifestações populares da história do Brasil, certamente sentiu falta da legitimaçõ das urnas. Sendo assim, o Presidente apostou tudo em se legitimar pela via da retomada econômica. Parece estar dando muito errado.


Se no começo de seu governo a previsão de crescimento para 2017 era de 1,6%, agora a taxa deve ser revista para a casa do 1% pelo próprio governo. Lembrando que este "crescimento" vem sobre uma base baixíssima, após dois anos de estagnação. Para a consultoria Empiricus, o crescimento pra valer só deve retornar a partir do segundo semestre do próximo ano.


Ainda para o ano que vem, Temer terá de enfrentar o julgamento da cassação da chapa que o elegeu como vice no Tribunal Superior Eleitoral. Se hoje ainda se dá como certo que seu governo acabará preservado, por outro lado uma estagnação persistente, um governo com quase nenhuma pró-atividade afora as medidas macro enviadas ao Congresso e aliados cada vez mais ansiosos com a proximidade das eleições de 2018, a coisa pode degringolar.


Nuvens negras vão se acumulando nas cercanias dos Palácios do Planalto e da Alvorada.

Notícias Relacionadas