politica 02/09/2016 às 18:17 - Atualizado em 02/09/2016 às 18:22

Cristovam Buarque quer que Cunha também mantenha os direitos políticos

Declaração foi feita na rádio Jovem Pan

Em entrevista para o programa Radioatividade, veiculado pela Rádio Jovem Pan, Cristovam Buarque defendeu que o mesmo benefício de fatiamento da punição aplicado no impeachment de Dilma sirva para Eduardo Cunha. Na avaliação de Buarque "eu defendo que deputado e senador tem que cassar seus deputados e colegas quando ocorrem desvios éticos. Mas eu não defendo cassar os direitos políticos. Eu defendo cassar o mandato. Você cassa o mandato, mas na próxima eleição deixa o eleitor decidir se quer ou não."

Ainda no dia do impeachment de Dilma, este Sul Connection foi o primeiro veículo a antecipar os efeitos negativos da decisão do Senado, incluindo a hipótese de o benefício ser ampliado para outros políticos, como Eduardo Cunha e outros investigados pela Lava Jato. A declaração de Buarque a primeira dada nesse sentido.

Na argumentação do senador, ao se cassar os direitos políticos de alguém que perdeu o mandato, está se privando a população da possibilidade de votar nele. É um raciocínio confuso e inverso, visto que o que há é o veto a uma nova candidatura de quem no passado recente cometeu uma ilegalidade. Não é a população que é privada de votar, é o político que é privado de concorrer. Levado ao extremo, o argumento de Buarque permite dizer que não há razão para que criminosos condenados por homicídio não possam se candidatos. Afinal, a população não pode ser privada de votar neles.

Notícias Relacionadas