politica 25/07/2016 às 18:18

Estranho: coluna do Estadão transforma medida correta do Senado em escândalo

Nota aparentemente vazada por servidores do Senado tenta causar constrangimento por medida acertada.

Que os políticos brasileiros têm regalias demais para resultados de menos, ninguém discute. Mas causa estranheza quando o jornalismo consegue enxergar escândalo em uma medida absolutamente correta. Foi o quê aconteceu este final de semana na coluna do Estadão na internet. Assinada pela jornalista Andreza Matais, conhecida em Brasília pelas suas fontes entre servidores com cargos comissionados na Mesa do Senado e pelo jornalista Marcelo de Moraes, a coluna tratou de forma irônica as reformas dos apartamentos funcionais atualmente ocupados pelos senadores Lídice da Mata (PSB-BA), José de Medeiros (PSD-MT) e José Maranhão (PMDB-PB).

Todos os senadores têm direito a escolher entre duas opções de moradia: ou moram em apartamentos funcionais, de propriedade do Senado da República e que fazem parte do patrimônio público ou então recebem Auxílio Moradia no valor de R$ 5.500,00 mensais e podem fazer o quê bem entenderem com o dinheiro. É conhecida de absolutamente todos os jornalistas que cobrem a capital o verdadeiro mercado imobiliário movimentado com o auxílio: deputados e senadores utilizaram durante um longo período o recurso para pagar a prestação de imóveis próprios na capital. Um grande negócio. 

Para entender o acerto das reformas, basta fazer as contas. No caso do senador José Medeiros, que apenas receberá armários novos em seu apartamento funcional, o custo é de R$ 15.000,00. Ou seja: no terceiro mês em que Medeiros utilizar o apartamento a reforma estará paga com a economia realizada no Auxílio Moradia. Já nos casos de Lídice da Mata (reforma de R$ 42.000,00) e José Maranhão (R$ 72.000,00), o tempo será um pouco maior. Mas nos três casos, além da economia realizada pela dispensa do Auxílio Moradia, todo o gasto será incorporado ao patrimônio público.

Com casos bem mais graves acontecendo no Senado, especialmente entre servidores ocupantes de cargos comissionados e com longuíssimo tempo ocupando posições-chave na casa, não poderia deixar de causar estranheza a este Sul Connection a nota dada em uma coluna assinada por dois jornalistas tão competentes e experientes.

Notícias Relacionadas