economia 06/06/2016 às 18:39

O fim da Poupança: rombo já chega perto de R$ 40 bilhões só em 2016

Desemprego, recessão e inflação alta ajudam a explicar corrida dos correntistas sacando o quê era poupado anteriormente.

O maior rombo na caderneta de poupança em 21 anos: eis o saldo trágico do desgoverno Dilma Rousseff e a herança maldita que Michel Temer tem pela frente. O volume de recursos que os investidores sacaram da caderneta de poupança apenas em maio foi de R$ 6,592 bilhões. No acumulado do ano, o saque também é recorde: já chega a R$ 38,888 bilhões.

A recessão que parece dar seus primeiros sinais de arrefecimento agora, o desemprego passando da casa dos dois dígitos e uma inflação renitente, fruto do necessário ajuste das tarifas públicas, manipuladas de forma populista e irresponsável por Dilma, são os principais fatores que levam a esta corrida contra a caderneta de poupança. Com a inflação no patamar atual e os juros com viés de alta, manter dinheiro na poupança também não compensa investidores.

O fim da poupança como aplicação atraente forçará o governo e a equipe econômica a buscarem alternativas para projetos habitacionais. Afinal, vinha da poupança sua principal fonte de abastecimento.

O Brasil terá dias difíceis pela frente até consertar todos os estragos da era Dilma.

Este Sul Connection espera que acabe logo.

Notícias Relacionadas