economia 26/03/2016 às 11:37

Renda cai, desigualdade aumenta e desemprego dispara: é a herança do PT

Após o impeachment, governo Temer terá enormes dificuldades para reerguer o Brasil dos escombros da era petista.

Lula navegou na melhor conjuntura econômica mundial desde o final da II Guerra Mundial. Com o preço das commodities em disparada devido ao acelerado crescimento chinês, o ex-Presidente tinha margem para realizar as reformas definitivas que o Brasil esperava e nos lançar para uma era de desenvolvimento sustentável por longos anos. Preferiu o populismo, preferiu eleger Dilma Rousseff presidente na marra e o resultado é que o Brasil está mergulhado na pior crise de sua história, só encontrando paralelos com a crise deflagrada pela Grande Depressão Americana do começo dos anos 1930.

Enquanto isso, o mundo já deixou para trás os difíceis anos após a crise de 2008 nos Estados Unidos e retoma o crescimento. Para se ter uma ideia da gravidade do problema do Brasil, este ano 20% dos desempregados em todo o mundo estarão concentrados aqui, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho.

No ano passado, pela primeira vez desde 1992, observou-se uma queda da renda dos brasileiros ao mesmo tempo em que a desigualdade aumentava. É bom que se registre: em 1992 também vivíamos uma grave crise política, que se resolveu com o impeachment de Fernando Collor de Mello. A partir de 1993 e principalmente com o Plano Real em 1994, o Brasil reencontoru o rumo e avançou rapidamente nos anos seguintes.

Desde 2015 estes indicadores ou ficaram completamente nulos, pela aceleração da inflação ou ficaram ainda piores.

A herança maldita do petismo dará muito trabalho para ser removida.

Que sirva de lição: não existe almoço grátis.

Cedo ou tarde, a conta sempre chega.

Notícias Relacionadas