politica 23/03/2016 às 10:40

Guilherme Boulus ameaça a ordem nacional em caso de Impeachment

Miliciano do MTST diz que país será "incendiado por greves, ocupações e mobilizações"

Guilherme Boulus se pretende um Che Guevara urbano. Ele comanda o MTST, o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto. Também é coordenador de um troço chamado "Frente Povo sem Medo".

Nesta terça, em coletiva, Boulus ameaçou a ordem e a tranquilidade nacional. Afirmou que, caso haja impeachment e a prisão do ex-presidente Lula, o Brasil não terá "um dia de paz" e o país será "incendiado por greves, ocupações e mobilizações".

O falatório de Guilherme Boulus pode até soar humorístico, haja vista que a pelegada que ele reune não costuma lotar uma kombi, mas o fato é que não se pode tolerar que um pseudo-revolucionário chantageie toda uma população com ameaças de desordem, bagunça e destruição. Na falta de uma lei antiterrorismo adequada, cabe para Boulus a aplicação da Lei de Segurança Nacional:

Art. 1º - Esta Lei prevê os crimes que lesam ou expõem a perigo de lesão:
I - a integridade territorial e a soberania nacional;
Il - o regime representativo e democrático, a Federação e o Estado de Direito;
Ill - a pessoa dos chefes dos Poderes da União.

Art. 2º - Quando o fato estiver também previsto como crime no Código Penal, no Código Penal Militar ou em leis especiais, levar-se-ão em conta, para a aplicação desta Lei:
I - a motivação e os objetivos do agente;
II - a lesão real ou potencial aos bens jurídicos mencionados no artigo anterior.


Não basta prender o crime organizado incrustrado no poder, também é preciso dar conta dos agentes subversivos que ele mantém nas ruas.

 

Notícias Relacionadas