politica 17/12/2015 às 14:52

Barroso tenta salvar Dilma: voto tira da Câmara admissibilidade do impeachment e passa ao Senado

Ministro lê voto alternativo ao do ministro Edson Fachin neste exato instante. Haverá votação na corte.

Luís Roberto Barroso é considerado o petista mais preparado da Suprema Corte. Nos meios esquerdistas é tratado como um Gilmar Mendes com sinal invertido. Sendo assim, não deixaria passar em branco o momento mais delicado do governo Dilma Rousseff (PT). Contrapondo o ministro Edson Fachin, Barroso apresenta neste exato instante um voto separado em que defende que, peitando a decisão de 2/3 da Câmara dos Deputados, o Senado pode decidir simplesmente não aceitar a abertura do processo de impeachment.

 

A ser cumprido o acordado ontem, a votação deveria ser encerrada hoje. Entretanto, com o voto em separado de Barroso, é bem possível que haja pedido de vistas e não se chegue a uma conclusão. Resta saber se a suspensão do rito de impeachment seguirá valendo.

 

O Sul Connection acompanha a sessão do Supremo no decorrer da tarde.

Notícias Relacionadas