politica 16/12/2015 às 20:18

Fim da Linha? Janot pede afastamento imediato de Cunha do cargo de deputado

Desta maneira, o pior inimigo de Dilma Rousseff (PT) seria afastado imediamente da condução do impeachment. Provas são consistentes.

No mesmo dia em que colheu uma brutal derrota no Supremo Tribunal Federal com o demolidor voto do ministro Edson Fachin a respeito do rito do impeachment, o governo teve ao menos uma boa notícia vinda da Procuradoria Geral da República: Rodrigo Janot acionou o STF e pediu o imediato afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) não apenas da Presidência da Câmara, mas também de todas suas atividades parlamentares. O arrazoado apresentado por Janot é contundente: são 11 fatos que comprovam que Cunha usa o cargo para constranger e intimidar parlamentares, réus colaboradores e advogados.

 

Para Janot, as acusações de corrupção e lavagem de dinheiro e investigação por manter dinheiro no exterior podem levar a perda do mandato de Cunha. Em sua petição, o Procurador Geral da República ainda fez questão de destacar que já possuía elementos para inclusive pedir a prisão preventiva do deputado, mas que por ora se contenta com seu afastamento das funções.

 

O pedido está com o ministro relator da Operação Lava-Jato, Teori Zavascki. Entretanto, Zavascki já decidiu que levará a decisão para o plenário do Supremo.

 

A chance de Cunha sobreviver é mínima.

Notícias Relacionadas