politica 15/12/2015 às 15:25

Globonews quer que Cunha renuncie por não conjugar verbo direito. E Dilma?

Convescote anti-Cunha no Estúdio i faz piadinha com a conjugação do verbo "haver" e defende cassação imediata. Não consta que defendam o mesmo para Dilma.

O Dilmês já rendeu até livro. A notória dificuldade da Presidente Dilma Rousseff (PT) em se expressar com um mínimo de clareza fez com que vídeos, memes, piadas e comunidades fossem criadas em massa nas redes sociais. Mas o começo da entrevista de Eduardo Cunha (PMDB) em que afirmou que "houveram três fases da operação" contra ele, foi o suficiente para que os isentos jornalistas da GloboNews defendessem a cassação imediata de Cunha por "assassinar o português". Não consta que em qualquer momento tenham defendido o mesmo para Dilma Rousseff.

 

O canal é vítima da mesma epidemia que tem contaminado toda a imprensa nacional: o petismo agudo. É pior que a microcefalia originada pelo Zika vírus. Não interessa se as instituições são aparelhadas, não interessa se o Estado é usado para perseguir inimigos do poder de turno, não interessa se o país faliu. O importante é atacar os adversários do petismo. Gerson Camarotti, inclusive, entrou ao vivo para assegurar que a operação ocorreu na mais perfeita normalidade e que nossas instituições, maravilhosas e independentes, funcionam sem qualquer interferência partidária. Seria cômico se não fosse trágico.

 

O Brasil bateu no fundo do poço com o petismo no poder. A grande imprensa insiste em continuar cavando.

Notícias Relacionadas