politica 23/09/2015 às 16:00

Repórter tenta enquadrar Peninha com pergunta infantil sobre desarmamento

Deputado catarinense tem sido a principal voz na luta contra o Estatuto do Desarmamento e pelo direito dos cidadãos de bem portarem armas.

O deputado Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC) tem se destacado no cenário nacional como a principal liderança política na lutaa contra o Estatuto do Desarmamento. Peninha reflete a posição majoritária da sociedade: é um absurdo o Estado garantir o monopólio do armamento para os bandidos. Desta forma, o deputado busca fazer prevalecer o resultado do Referendo do Desarmamento, que em 2005, por ampla maioria de 63,94%, decidiu que os cidadãos de bem deveriam ter o direito a também se armarem.

 

Com a repercussão de seu trabalho, Peninha tem seguidamente sido procurado para entrevistas, palestras e seminários em todo o Brasil. É claro que com uma classe jornalística ideologizada e que se pauta apenas pela esquerda, não escaparia de supostos repórteres tentando pressioná-lo. A última de que foi vítima foi um suposto jornalista carioca, que enviou ao deputado a seguinte pergunta: "Caso o seu projeto passe, o país poderá virar um faroeste contemporâneo. No lugar dos cavalos, os automóveis. Vamos ter duelos nas ruas, pessoas exibindo suas armas na cintura, fazendo selfies, postando nas redes sociais, comercializando livremente e transformando tudo num mercado. O senhor já pensou nessa hipótese, deputado?".

 

O episódio foi relatado pelo próprio Peninha em seu Facebook. Obviamente o deputado sequer perderá seu tempo respondendo. Mas este Sul Connection esclarece o coleguinha analfabeto, infantil e despreparado. 

 

1 - Morria menos gente assassinada no Velho Oeste, proporcionalmente ao número de habitantes, do que morre atualmente no Brasil.

 

2 - Morre mais gente assassinada no Brasil do que no Iraque e na Síria, países em guerra e sob o terror do Estado Islâmico.

 

3 - O país mais armado do mundo, os Estados Unidos, tem igualmente uma das menores taxas de homicídios do planeta. 

 

4 - Qual seu problema com o "mercado", moleque? Não te explicaram que eu e o vizinho, se realizamos trocas mecânicas, estamos construindo um mercado? Pare de ser retardado e papagaiar mantras esquerdistas sem sequer saber o quê significam.

 

5 - Por fim, nós do Sul Connection solicitamos suplicantemente que imbecis deste naipe procurem uma outra profissão. O jornalismo requer um mínimo de preparo e alfabetização. Gente desta grei só serve para desacreditar ainda mais o jornalismo, que já pasa pela mais brutal crise de credibilidade da história brasileira. Uma crise que não é acaso, como este episódio deixa claro.

Notícias Relacionadas