geral 11/09/2015 às 16:05

Ex-agricultora, aluna de supletivo forma-se em Letras na UFSC

Geneva Lima da Silva, 64 anos,freqüentou o núcleo da Costeira do Pirajubaé da Educação de Jovens e Adultos em Florianópolis.

Geneva Lima da Silva, juntamente com sete irmãos, trabalhava na roça, no Norte do Paraná. Sob o comando do pai Antonio Umbelino de Oliveira e da mãe, Severina Lima de Oliveira, plantava arroz, feijão, milho.  Aos oito anos de idade, cursou o primeiro ano do primário, em Marumbi, e aos 13, em Cambira, o segundo ano.  Com a família, mudou para Ivaiporã. “Era bem no meio do mato, distante de tudo. Não havia escola”.

 

Adulta, teve uma vida cigana. Morou em várias regiões do país. Casada com o motorista Pedro Mendes da Silva, foi para São José dos Campos, onde teve seus quatro filhos: Rosilene, Neide, Leonice e Elizeu.

 

Leonice, a caçula entre as mulheres, pertencente ao quadro civil da Aeronáutica, foi transferida para Florianópolis. Em 2006, Geneva veio ao encontro da filha em terras catarinenses, pois estava triste com a perda do marido em um acidente.

 

SENTI UMA VONTADE ENORME DE VOLTAR A ESTUDAR”

 

O primeiro endereço de mãe e filha foi o Carianos. No bairro do Sul da Ilha,conheceu Aílton, aluno da Educação de Jovens , Adultos e Idosos (EJA), programa da Secretaria Municipal de Educação. O colega a convidou para visitar o núcleo da EJA na Costeira do Pirajubaé. “Fui lá e gostei muito. Ao entrar naquele ambiente, senti uma vontade enorme de voltar a estudar”.

 

Assim, em 2008, Geneva conclui o ensino fundamental no espaço apresentado a ela pelo Aílton. Vários professores a marcaram, um deles foi Vilmar Pereira dos Santos, que atualmente leciona Espanhol na Escola Municipal José Jacinto Cardoso, na Serrinha. “Simples, educado, foi um dos meus incentivadores para que continuasse essa caminhada do saber”.

 

FORMAR-SE EM LETRAS: UM SONHO

 

No ano de 2009 e primeiro semestre de 2010, ela se dedicou ao Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) para se formar no ensino médio. Nessa época, já sonhava em cursar Letras, ser aluna do ensino superior. Prestou vestibular na Universidade Federal de Santa Catarina, e passou, para habilitação em Espanhol. “Fiquei transbordada de felicidade. Um desejo começava a ser realizado”.

 

A formatura de Geneva ocorreu recentemente, no dia 7 de agosto, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Lá estavam todos os filhos. Leonice, 44 anos, que abrigou a mãe em sua casa, e os demais que se deslocaram de São José dos Campos para abraçar, beijar e aplaudir a ex-agricultura. Lá estavam Rosilene, 47 anos, Neide, 45 anos, e Elizeu, 43 anos. Nove de onze netos também foram paparicar a avó diplomada.

 

EXEMPLO E VONTADE DE LECIONAR

 

Geneva, nascida em 24 de novembro de 1950, em breve completa 65 anos de idade.  Talvez retorne para São Paulo. Quer dar aula em cursinho pré-vestibular. Quer ajudar a abrir as portas do ensino superior para a juventude.

Notícias Relacionadas